Notícias

Mulher mantém cachorro trancado em caixa por 2 meses por ser “arteiro” e é presa

Sem Titulo 1 6

Caso aconteceu em Campo Grande (MS). Entenda!



A violência contra os animais é algo muito difícil de ser concebido por aqueles que cresceram ao lado desses seres tão puros, cheios de amor e lealdade para nos oferecer a todo momento.

Quem conhece e convive com os mais diferentes tipos de animais, compreende que eles possuem uma natureza completamente diferente da nossa, e que por isso podem agir de maneiras “estranhas” às vezes, encarando o seu comportamento como algo normal, que não os impede de amá-los e respeitá-los.

Entretanto, nem todas as pessoas são capazes de lidar com as diferenças compartilhadas entre nós e esses seres, e podem acabar se irritando e tomando medidas completamente violentas e abusivas contra os animais que têm em suas casas, ao invés de buscarem uma alternativa de solução para o problema, como entregá-los a alguém verdadeiramente preparado para cuidá-los.

Por conta das atitudes dessas pessoas, milhares de animais são colocados em situações tristes todos os dias, e até mesmo correm risco de vida. Em Campo Grande (MS), algo muito triste e revoltante aconteceu durante os últimos meses.


Uma matéria do G1 contou que uma mulher, que vivia no bairro Tarumã, foi presa em flagrante no começo do último dia 1 de junho em sua casa por manter um cachorro trancado em uma caixa por 2 meses.

A suspeita, de 44 anos, foi descoberta após denúncia, e os policiais atestaram a veracidade da informação ao chegarem até o local. Lá, eles encontraram o cachorro preso em uma caixa de madeira com cobertura de zinco.

A caixa media aproximadamente 1 metro de comprimento por 78 centímetros de largura e 48 centímetros de altura e tinha apenas pequenas frestas em suas laterais.

No flagrante, a mulher confessou os maus tratos e disse que mantinha o animal preso porque ele era “muito arteiro”. Ela foi presa e o animal levado para um lar temporário. A ocorrência foi registrada na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista (Decat) como maus-tratos.


Médico pede desculpas a vendedora egípcia: ‘É uma brincadeira brasileira’

Artigo Anterior

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morre vítima de câncer aos 41 anos

Próximo artigo