Comportamento

Mulher faz procedimento para remover tumores e nariz dobra de tamanho. Sofre preconceito!

Capa Mulher faz procedimento para corrigir desvio de septo e nariz dobra de tamanho Sofre preconceito

A mulher nasceu com hemangiomas nasais, tumores vasculares benignos que provocam o crescimento anormal de vasos sanguíneos.



Os procedimentos estéticos foram criados para transformar a aparência dos indivíduos, deixando-os mais próximos do ideal que imaginam ser mais belo.

Preenchimentos, remodelagem, harmonização facial e cirurgias são feitas com o consentimento dos pacientes para que consigam modificar alguma parte do corpo com a qual não estejam satisfeitos.

As cirurgias plásticas não possuem apenas essa função, elas podem auxiliar no bem-estar de pacientes que não conseguem levar uma vida normal ou sentem muitas dores por alguma condição que outras áreas da medicina não são capazes de alterar. Por exemplo, em pacientes que sofrem queimaduras severas, é fundamental o enxerto de pele, procedimento realizado com excelência por profissionais da área.


No caso de Laudiane Fernandes, de 42 anos, de Alagoas, os procedimentos estéticos não faziam parte da sua realidade, até que precisou passar por uma cirurgia de reconstrução do nariz por ter nascido com uma rara condição. A influenciadora e micropigmentadora nasceu com hemangiomas nasais considerados graves.

Os hemangiomas são tumores vasculares benignos que causam o crescimento anormal dos vasos sanguíneos e, no caso de Laudiane, essa multiplicação ocorre abaixo da pele, no nariz, no couro cabeludo e em volta dos olhos. Durante a infância, segundo depoimento em sua página do Instagram, a condição lhe provocava graves hemorragias nasais e convulsões.

2 2 Mulher faz procedimento para remover tumores e nariz dobra de tamanho Sofre preconceito

Direitos autorais: reprodução Instagram/@laudianefernandes_.

Laudiane viu tudo piorar ainda muito nova, e aos 16 anos, enquanto saía e entrava de hospitais, recebeu o diagnóstico de hemangiomas. A influenciadora começou então um processo que incluiu muitas cirurgias para tentar remover esses tumores, mesmo que benignos, já que atrapalhavam sua rotina.


Foram oito cirurgias, uma delas para remover um hemangioma nasal, procedimento no qual sua pele foi cortada e remodelada a estrutura do seu nariz. Infelizmente, a pele infeccionou e os médicos precisaram adotar medidas extremas para não permitir que a situação se agravasse ainda mais, e usaram um enxerto de pele da parte de dentro da bochecha de Laudiane.

2 3 Mulher faz procedimento para remover tumores e nariz dobra de tamanho Sofre preconceito

Direitos autorais: reprodução Instagram/@laudianefernandes_.

Ela passou a respirar melhor, mas também ficou com um nariz cerca de “duas vezes maior” do que antes. Foram necessárias cinco horas para que a equipe conseguisse reparar os danos que a infecção tinha causado, e embora estivesse feliz, sentiu pesar pela sua aparência e todas as cicatrizes que ficaram.

Foram três meses saindo de hospitais e entrando neles, mas os médicos lhe garantiram que a pele não seria rejeitada. Além de todo esse drama, Laudiane começou a perceber um tratamento diferenciado dos amigos da escola, desenvolvendo “dificuldades mentais”.


Em casa, as coisas não iam bem, pois sua mãe passou a se preocupar se conseguiriam ter dinheiro para pagar as cirurgias, o que também colaborou para o seu mal-estar pessoal. Laudiane, que trabalha atualmente com estética, por grande parte de sua vida ouviu comentários maldosos a respeito da sua aparência.

2 4 Mulher faz procedimento para remover tumores e nariz dobra de tamanho Sofre preconceito

Direitos autorais: reprodução Instagram/@laudianefernandes_.

Desde a escola até a fase adulta, quando as ofensas começaram a ser tecidas por meio das redes sociais, ela é comparada à Fiona (Shrek), ao Pinóquio e a outros animais, como touros. A esteticista explica que foi preciso coragem e disposição para aprender a lidar com críticas e xingamentos, mas que hoje eles não afetam mais.

A mulher atualmente usa as redes sociais para conscientizar as pessoas sobre as diferenças, mostrando que se fortaleceu com as dificuldades. Laudiane explica que sua situação sempre foi grave e que poderia ter parado de respirar ou ser afetada pela quantidade de sangue que perdeu, e que ter sobrevivido a deixa grata.


A pandemia me fez perceber que eu vivo muito bem sem algumas pessoas!

Artigo Anterior

Pastor Valdemiro é condenado por dizer que governador “fez pacto”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.