Comportamento

Mulher de 34 anos morreu depois de misturar produtos de limpeza para desinfectar banheiro

Foto: Unsplash
capa site Mulher de 34 anos morreu depois de misturar produtos de limpeza para desinfectar banheiro

A mistura dos produtos acabou produzindo um gás tóxico, o que desencadeou um ataque de asma fatal.

A limpeza da casa pode ser um dos momentos mais aguardados por alguns, e um dos mais odiados por outros. Manter as coisas em ordem e realizar a limpeza dos cômodos exige preparo e cuidado, principalmente com os produtos que vão ser escolhidos para manter cada espaço livre de bactérias e sujeira.

Muitas vezes, no ímpeto de deixar tudo bem limpo e cheiroso, acabamos caindo no erro de misturar os produtos de limpeza que temos na nossa despensa. Especialistas apontam que esse é uma das ações mais perigosas das pessoas quando o assunto envolve cuidado da casa, isso porque cada produto de limpeza é produzido com base em sua própria formulação, sendo considerados agentes desinfetantes, e sendo indicados para uso separado.

Não é incomum acreditar que a mistura de todos os produtos disponíveis torna a limpeza ainda mais eficiente, mas essas combinações podem provocar graves reações químicas, formando novos compostos extremamente perigosos e prejudiciais à saúde, podendo causar queimaduras, intoxicação respiratória e até mesmo uma explosão.

A reação química pode acabar produzindo gases tóxicos, foi o que aconteceu com Leah Seymour, de 34 anos, em Londres, na Inglaterra. A mulher realizou a mistura de dois produtos de limpeza, de acordo com o tabloide britânico Mirror, que acabou desencadeando um gravíssimo e fatal ataque de asma.

A mulher, que atendia pelo nome de Celia, trabalhava como gerente da Atlantico Hand Car Wash, em Betchworth, ao lado do proprietário Peter Seferi, que decidiu homenagear a ex-funcionária e mudou o nome do local para Hand Car Wash from Celia. Ele estava a caminho da casa dela, quando recebeu uma ligação em que dizia que “estava só correndo escada acima para branquear o banheiro”.

Peter contou às autoridades que chegou na casa de Celia em menos de cinco minutos, e que o cheiro no local estava muito forte. Eles saíram juntos e estavam conversando normalmente, mas foi quando começou a ter uma crise de asma e lutar para respirar. Ele chamou a ambulância e começou a fazer a reanimação cardiorrespiratória enquanto aguardava o socorro médico.

Celia foi colocada em coma induzido e acabou falecendo quatro dias depois, e o colega de trabalho ficou extremamente emocionado com o ocorrido. Peter conta que ela “foi maravilhosa”, e que ele e os familiares decidiram fazer um memorial para que pessoas possam deixar flores para ela.

Com uma natureza empática, Celia é descrita como extremamente amigável e gentil, e Peter ainda disse que ela era capaz de mudar todo o curso da sua vida só para ajudar as pessoas que amava, estando sempre disponível para quem quer que fosse. A morte inesperada e prematura da colega, fez com que o proprietário do lava-rápido se sentisse desestimulado a seguir tocando seus negócios.

“Não tenho mais vontade de vir trabalhar; eu apenas sinto que estou olhando, tipo ‘onde ela está?’ Eu simplesmente não consigo me conformar com isso. Quando meu primeiro filho nasceu fui eu e ela que fomos buscar minha esposa e meu filho, ela era como meu braço direito”, explicou Peter.

Julie Felon, mãe de Celia, disse ao corpo de bombeiros que acredita que a filha misturou alvejante e um produto de desinfecção do vaso sanitário. De acordo com os familiares e amigos, desde o início da pandemia do novo coronavírus, ela acabou desenvolvendo o hábito de limpar com maior frequência sua casa, e tinha costume de misturar os produtos de limpeza.

Especialistas explicam que, dentre os produtos de limpeza, a água sanitária é um dos que nunca devemos misturar com outras substâncias. Por ter baixo custo, acaba sendo uma das principais opções para quem deseja manter a casa limpa, sendo extremamente forte para matar os vírus que possuem uma camada lipoproteica.

Porém, sempre que misturada com outras substâncias, pode acabar se revelando muito perigosa. Uma das misturas mais realizadas pelo público, por exemplo, é da água sanitária com o álcool em gel, porém, juntos, acabam produzindo uma nova substância, o acetaldeído, que causa queimaduras e irritação na pele.

A mistura da água sanitária com amoníaco (ou qualquer desinfetante que tenha amoníaco na composição) também se revela grave, agredindo de maneira impactante o sistema respiratório dos pacientes, sem contar no alto potencial de explosão e de toxicidade que o amoníaco possui. Os médicos não recomendam nenhuma mistura com os produtos de limpeza, usando-os apenas separadamente, principalmente com a água sanitária.

0 %