publicidade

Mulher que foi sequestrada quando era bebê encontra a mãe 35 anos depois. Emocionante!

Neuza descobriu que a mãe biológica e o irmão estavam vivos e moravam numa cidade a mais de 200 quilômetros de onde foi criada pela sua sequestradora.



No pequeno distrito de Mutum-Paraná (RO), em Porto Velho, aconteceu uma história que de tão inusitada até parece coisa de filme ou novela. Aos 35 anos de idade, Neuza de Jesus Oliveira descobriu que foi sequestrada ainda bebê.

Conforme publicação do portal G1, a moradora contou que, quando tinha 7 ou 8 anos, descobriu que era adotada. Sua mãe adotiva disse que o pai biológico de Neuza a entregou a ela, pois não tinha condições financeiras de cuidar da menina, já que tinha dois filhos mais velhos. Depois disso, o casal morreu.

Mas, conforme os anos foram passando, Neuza conta que aumentava sua incerteza sobre a sua origem. Aos 12 anos, ela perguntou à mãe adotiva se ela tinha informações sobre sua família biológica. Foi então que ela descobriu que seus pais biológicos se chamavam Ester e Sebastião e que ela tinha dois irmão, Célio e Dione. Mas foi só neste ano, mais de duas décadas depois de saber os primeiros nomes dos possíveis membros de sua família, que Neuza tomou uma iniciativa simples, mas que mudou para sempre a sua vida.


Neuza fez uma postagem numa página do Facebook sobre filhos adotivos que estão à procura de suas mães biológicas, e um internauta lhe respondeu.

Direitos autorais: reprodução Facebook/G1.

No comentário, a pessoa disse que conhecia os irmãos da vítima e que eles moravam em Alto Paraíso (RO), que fica a cerca de 283,7 quilômetros de Mutum-Paraná. Como se não bastasse essa informação bombástica, a internauta descreveu que a mãe biológica dela não era falecida, inclusive sofria de depressão devido ao desaparecimento de uma filha, há mais de 30 anos.

A internauta ainda respondeu dizendo que em Alto Paraíso havia uma senhora que conheceu a mãe e os irmãos de Neuza. Essa moradora então entrou em contato com Neuza e revelou que a mãe dela não estava morta. Foi então que Célio, um dos irmãos biológicos de Neuza, entrou em contato com ela e, em meio à alegria ao telefone, a mulher se deparou com uma revelação que contradizia tudo o que sua família adotiva havia lhe dito.

Célio falou para Neuza que, quando ela desapareceu, sua mãe havia acabado de amamentá-la colocá-la no berço.


Direitos autorais: arquivo pessoal Neuza de Jesus Oliveira/reprodução G1.

Em seguida, ela saiu, fechou a porta da casa e foi até a residência da avó materna da vítima. Quando retornou, a casa da família estava aberta e o bebê havia sumido. Que aflição! Mas, apesar da felicidade por descobrir que tinha uma família que a espera como todo o amor que há neste mundo, ainda não era a hora da angústia de Neuza passar. Depois de confirmar que de fato Célio falava a verdade, ela confrontou a mãe adotiva.

Neuza contou que já havia encontrado o seu irmão biológico e que descobriu que sua mãe biológica não estava morta, ao contrário do que a mãe adotiva lhe contou a vida inteira.

Foi então que a mulher ficou transtornada. Neuza, inclusive, já havia até agendado para fazer o exame de DNA em Alto Paraíso (RO), onde a mãe biológica mora com um irmão e, ao contar isso para a mãe “adotiva”, esta não lhe respondeu mais e apenas cinco dias depois disso, a possível sequestradora se mudou e bloqueou Neuza pelo celular. Desde então a mulher não teve mais notícias da sua raptora.

Contudo, o exame deu positivo, mas a recepção de sua mãe biológica, hoje com 62 anos, não foi das mais calorosas. Mas isso porque a idosa não está lúcida – o sequestro da filha lhe causou problemas psicológicos, depressão e esquizofrenia. Na prática, a idosa não reconhece quase ninguém, nem mesmo a filha sequestrada quando ainda era bebê.

A senhorinha só conseguiu esboçar algum tipo de emoção ao conhecer a neta de cinco anos. “Minha mãe olhou para mim e encheu os olhos de lágrimas”, disse Neuza à reportagem. Diante do sumiço daquela que se passava por sua mãe, Neuza conta que vai acionar a justiça para fazer com que a mulher seja punida. Ela se diz indignada por não ter ouvido nenhuma justificativa ou pedido de desculpas da mãe adotiva.

Mesmo com muitos de seus amigos criticando sua decisão de denunciar o caso, Neuza registrou um boletim de ocorrência contra a mãe adotiva e disse que vai lutar por justiça devido a todo sofrimento que o sequestro causou à sua família e, principalmente, sua mãe biológica.

Você também ficou impressionado com essa história?

Dê a sua opinião nos comentários e não se esqueça de compartilhar esse caso incrível nas suas redes sociais.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.