Pessoas inspiradoras

Mulher que vendia doces para pagar a faculdade vira engenheira química: “Sacrifícios valeram a pena”

Foram anos até que Evelin conseguisse se graduar, e precisou de muito esforço para pagar as mensalidades, já que é de origem humilde.



A realização de um sonho é uma das coisas mais mágicas que um indivíduo pode passar, principalmente quando a estrada para chegar até lá foi longa e extremamente árida.

Atingir um objetivo faz com que novas portas se abram em nossa vida, como se desbloqueássemos uma nova etapa no nosso jogo pessoal para que outros momentos sejam vividos.

Cada indivíduo tem um desejo diferente, vontade de realizar algo que nem sempre é o mesmo que o outro quer, e isso nos faz ainda mais únicos, cada um correndo atrás de uma razão existencial diferente. Essas nuances acabam unindo as pessoas, já que, no fim das contas, estamos atrás da mesma coisa, guardadas as devidas proporções: viver da melhor forma possível.


Cada um tem um caminho a percorrer para chegar ao seu objetivo, com obstáculos que, na maioria das vezes, precisam ser ultrapassados sem nenhuma ajuda. A jovem Evelin López Hipólito sempre sonhou em concluir o ensino superior, e precisou se esforçar um bocado para isso, principalmente por conta de suas origens.

De família pobre, Evelin precisou vender doces na faculdade para conseguir pagar as mensalidades e, mesmo pensando inúmeras vezes em desistir, continuou firme em sua batalha. Os pais, que trabalham como motoristas, sempre ajudaram a filha da maneira que podiam, mas a verba era curta e precisava ser usada para sustentar a casa.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@evelinleto.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@evelinleto.


Hoje, aos 25 anos, a mexicana exibe orgulhosa em suas redes sociais seu diploma de Engenharia Química, na Universidade Veracruzana. O que mais surpreendeu a todos foi que, numa das imagens que a jovem compartilhou no seu perfil, ela aparece sentada num banco verde, segurando seu diploma. Esse era exatamente o local onde vendia os doces que serviram para pagar seus gastos com a faculdade, um lugar cheio de simbolismo e que guarda muitos sonhos.

Em reportagem ao jornal El Universal, Evelin explica que ali era onde grande parte dos seus clientes a procuravam, mas que não costumava ficar parada em um só lugar, precisando andar pelo campus inteiro, enquanto carregava seu material e os docinhos.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@evelinleto.

Além das mensalidades, a jovem precisava pagar o transporte até a faculdade, alimentação e material, mas ver o sonho se tornar realidade era o que a movia. Mesmo graduada, Evelin quer continuar suas pesquisas acadêmicas, usando seu trabalho em biomedicina e até na área de farmácia.


A família da garota está muito orgulhosa e demonstra a alegria e emoção nas fotos em que aparece nas redes sociais da jovem. Ela nunca se envergonhou de suas origens e sabia que precisaria ser firme em seu caminho, se quisesse alcançar seu objetivo.

Nordestina de 12 anos supera mais de 14 mil alunos e vence concurso de ciências da Nasa!

Artigo Anterior

Policial atende a chamado, conhece 6 crianças órfãs e decide adotá-las: “Vínculo era muito forte”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.