Mulheres apaixonadas por plantas podem viver mais, estudo revelou!

5min. de leitura

Um estudo realizado pela Escola de Saúde Pública Harvard TH Chan e Hospital Brigham and Women mostra que as mulheres que vivem cercadas por plantas têm vida longa.



Você é apaixonada pela natureza, procura sempre encontrar um tempo para estar ao ar livre e traz um pouco dessa beleza e qualidade de vida para dentro de casa através das plantas? Então, de acordo com um estudo, você poderá viver mais!

A Escola de Saúde Pública Harvard TH Chan publicou em seu site oficial um estudo muito interessante realizado em parceria com o Hospital Brigham and Women, afiliado à Harvard Medical School.

O estudo descobriu que as mulheres norte-americanas que vivem em casas com mais presença de plantas parecem ter taxa de mortalidade significativamente mais baixa do que aquelas que não têm muita vegetação em seus lares.


Conforme divulgado, num período de estudo de oito anos, a taxa de mortalidade das mulheres que viviam em meio à vegetação foi 12% menor do que daquelas que moravam em casas com pouca área verde.

De acordo com o estudo, uma das maiores vantagens de morar em ambientes com plantas, o que ajuda a ter longevidade, é a boa saúde mental.

Na avaliação da saúde mental, constatam-se níveis mais baixos de depressão, o que corresponde a quase 30% do benefício de se viver em grandes áreas de vegetação. Além desse fator, o aumento das oportunidades de envolvimento social, de atividade física e menos exposição à poluição do ar podem desempenhar um papel importante, de acordo com os autores do estudo.

Peter James, pesquisador do Departamento de Epidemiologia da Harvard TH Chan School, disse que ele e os demais pesquisadores se surpreenderam ao perceber quão forte é a relação do aumento da exposição a plantas com as menores taxas de mortalidade.


O estudo analisou dados de 108.630 mulheres inscritas no Estudo de Saúde dos Enfermeiros nos Estados Unidos, entre 2000 e 2008, comparando a taxa de mortalidade das participantes no período do estudo com a quantidade de vegetação ao redor de suas casas, por meio de imagens de satélite. Também levaram em consideração outros fatores de risco de mortalidade: idade, status socioeconômico, raça e etnia e hábito de fumar.

Ao analisar as causas específicas de morte das participantes do estudo, eles constataram a relação da presença de vegetação com as menores taxas de mortalidade, principalmente nos casos de doenças respiratórias e câncer. Ou seja, as mulheres que vivem em meio às plantas tiveram taxa 34% menor de mortalidade relacionada a doenças respiratórias e 13% menor de mortalidade por câncer em comparação com aquelas que não mantêm o verde em casa.

James finalizou dizendo que ele e equipe sabem dos benefícios da vegetação para o meio ambiente e que essas novas descobertas sugerem um possível cobenefício: a melhoria da saúde, por isso incentiva o cultivo de mais lugares saudáveis nos ambientes urbanos.

Muito interessante!

Apesar de o estudo ter sido voltado para mulheres norte-americanas, existem muitos estudos que comprovam os benefícios da natureza para a nossa saúde, portanto, cercarmo-nos de plantas é algo que nos faz muito bem!

O que achou do estudo? Comente abaixo sua opinião e compartilhe o texto em suas redes sociais!

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem de capa: Rebellé Fleur/Unsplash.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.