ColunistasDesenvolvimento Pessoal

Mundo corporativo: todo mundo esta preparado para ser promovido?

MUNDO CORPORATIVO capa e dnetro

Infelizmente a meu ver a resposta é não! E não tem nada a ver com conhecimento e habilidades técnicas e sim com a Inteligência Emocional.



Tema batido? Muito! Mas cada vez mais presente no dia a dia corporativo. Existem pessoas que se escondem atrás de um cargo e usam a arrogância como um escudo. Muito a ver com um texto que escrevi alguns meses atrás em que abordei as diferenças entre Líder e Chefe.Líder ou Chefe?

Alguns acreditam mesmo que gritos e palavrões fazem parte do escopo da sua função e que isto fara diferença sobre pares e subordinados. Porém, para a hierarquia acima da sua continuam dóceis e gentis. Que ironia né?

Ficam tão cegos com a conquista do “poder” que esquecem que este mundo é bem frágil. Que cargos e posições não são para sempre e que a qualquer momento os papéis podem se inverter onde está ou em outras companhias.


Cada vez mais gerações novas assumem cargos de liderança. Alguns de forma muito precoce e sem maturidade para lidar com isto. Sem generalizar, nem todos se preparam de forma consciente e preocupados com o todo, ou seja, com o desenvolvimento técnico e emocional que a função necessita. Sem dúvida alguma, para mim o capital humano é o bem maior que qualquer empresa possui e saber tratar dele pode fazer toda a diferença para seu resultado.

Como disse acima, sem generalizar, tem pessoas e pessoas. Não existe mais espaço para quem não sabe lidar com gente. Não digo atrás de e-mail, mesa ou sala imponente. Mas pelo sorriso, olhar e aperto de mão. Gerações x, y, z e baby boomer e sei lá mais o que podem surgir. O que realmente importa é o SER e não o TER o cargo.

Durante minha trajetória profissional conheci pessoas muito articuladas que conseguem transitar na empresa com maestria e subir de forma meteórica… Mas não se sustentam e ficam pulando de galho em galho e esquecem que também de forma meteórica podem descer ladeira abaixo. Empresas especializadas em recursos humanos e setores afins que buscam conhecer seus candidatos até em redes sociais. Por quê? Porque percebem que um bom candidato e futuro brilhante funcionário ou “colaborador” tem que ter além das competências técnicas, a competência de saber viver dentro de fora da empresa.

Nos anos 90, mais precisamente em 1995, o livro de Daniel Goleman que tratava da Inteligência Emocional explodiu em sucesso e vendagem. Minha teoria sobre este sucesso é que chegamos ao ápice do modelo de gestão que pouco se importava com as relações humanas dentro das corporações e algo tinha que mudar! Graças a Deus mudou! Ainda não temos o melhor modelo e sempre estamos em constante evolução, pois o que está ótimo hoje, pode não ser o melhor amanha.


#ficaadica… Sorria você está sendo filmado e pode receber a próxima promoção… E ai, você esta preparado?

Por Pathy Bertão

Tudo que é demais, enjoa!

Artigo Anterior

Reencarnações…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.