ColunistasReflexão

Na vida não há respostas certas. Você precisa de perguntas!

Já ouviu falar naquele dilema “dar o peixe ou ensinar a pescar”?



Há um provérbio chinês que fala que se der o peixe a um homem faminto, vai alimentá-lo por um dia, mas se o ensinar a pescar, ele se alimentará pelo resto da vida.

O mesmo acontece com as perguntas e as respostas. Dê as respostas e você não ajudará o outro a solucionar todos os seus problemas, mas faça as perguntas certas e ele conseguirá encontrar as melhores respostas para si e aprenderá a importância de questionar para encontrar as soluções.

Na escola, aprendemos que para cada pergunta, muitas vezes só há uma resposta certa. Nas exatas isso fica bastante claro. Em humanas, alguns professores buscam essa exatidão e dão como errada a resposta que a pessoa encontrou para si diante daquela pergunta.


Na vida, não há respostas certas. A questão é essa. Uma resposta que deu certo para um, não necessariamente será a melhor para outra pessoa. E é por isso que as perguntas são o caminho.

Muitas vezes esquecemos de buscar as soluções e as queremos prontas. Queremos que a família, os amigos, professores e o mundo nos deem as respostas. E tudo bem, isso pode dar ideias e abrir os horizontes, mas não necessariamente serão dadas as respostas certas para você, para a sua vida.

E por isso é importante se questionar se é para você aquela ideia, aquele conhecimento, aquele hábito, aquela escolha… Ou se é dos outros. Muitas pessoas escolhem uma carreira porque os pais disseram, muitas pessoas fumam porque os amigos fumam, muitas pessoas começaram a ficar fitness ou com o corpo tal porque está na moda. Essas respostas prontas são as certas para você? Tudo bem se for. Mas se questione. Por que você quer fazer isso? É realmente importante para você? Quais são as suas outras opções? Qual realmente é a melhor opção para você?

Por que eu preciso colocar silicone? Por que é importante que eu me forme? Qual é a importância para mim de casar e ter filhos? Quais são as minhas outras opções? O que realmente importa? O que eu vou escolher?


Decidiu? Então, qual será o seu primeiro passo?

Já dizia o ditado: se conselho fosse bom…

Artigo Anterior

“este é um livro sobre o amor…”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.