ColunistasComportamentoReflexão

Não abrace o mundo, abrace você!

NÃO ABRACE O MUNDO FOTO DE CAPA

Variavelmente ou rotineiramente as pessoas por diversas razões e motivos acabam absorvendo ou assimilando demasiadamente os problemas exteriores às suas realidades. Seja devido o trabalho fora de casa, a família, as amizades, os relacionamentos ou até mesmo sobre os problemas do mundo inteiro…



Sabe aquelas pessoas que sempre estão preocupadas ou reclamando sobre os problemas do mundo? Sobre os infinitos e eternos conflitos da humanidade? E ainda na maioria das vezes elas nem fazem parte desses problemas?

Pois é. Com o advento da tecnologia da informação as pessoas cada vez mais estão expostas a tudo quanto é tipo de notícia e informação e também desinformação, e muitas vezes no cerne da questão elas sempre estão fora desses problemas ou ainda tais problemas não fazem parte de suas realidades. E nisso mora um grande problema: absorver problemas que não são nossos!

nao-abrace-o-mundo-foto-01


Ao absorver demasiadamente, exageradamente tais problemas que não são nossos, que não fazem parte de nossa realidade ou que não estão dentro do nosso cotidiano e de nossa vida, acabamos canalizando uma gama de energia para algo que não tem tanto valor ou importância real ou verdadeira para conosco, e logo, esta mesma energia, poderia e deveria estar canalizada e direcionada para algo com importância real para nossa vida.

Se preocupar demais e exageradamente com a política nacional ou internacional, por exemplo, é uma forma de canalizar energias demasiadas, em grande escala e dose, para um campo ou área que talvez nem precisássemos de tal preocupação.

Assim, ao absorver exageradamente os problemas, as preocupações exteriores à nossa realidade, corremos o risco desnecessário de esquecer nossas verdadeiras preocupações e até obrigações…

Sabe aquele ditado popular: “não abrace o mundo!” Pois é, parece que de tempos em tempos ele torna-se cada vez mais real.


Foi assim durante o período das grandes guerras do século passado e até lá atrás nos tempos das cruzadas marítimas.

Não necessariamente devemos ficar ignorantes sobre os acontecimentos ao nosso redor e do mundo, porém ter em mente que este mesmo mundo exterior só por sua definição muitas vezes não nos compete devido termos o nosso próprio mundo interior…

Isso também não significa abster-se totalmente das informações e comunicações exteriores ao nosso mundo, mesmo que isso também pode-se tratar de opção ou escolha, isto significa que devemos dosar nossas preocupações exteriores, com coisas e assuntos extras à nossa realidade cotidiana, para realmente preocupar com algo verdadeiramente importante na nossa vida.

nao-abrace-o-mundo-foto-02


Por isso que de tempos em tempos, devemos juntamente com o velho ditado que sempre aparece, olhar para um mundo cheio e carregado de alegrias, de tristezas, de virtudes, de defeitos, de vontades, de obrigações, de sonhos, de perspectivas e realizações e abraçá-lo constantemente antes de qualquer coisa ou preocupação exterior.

E este mundo é o nosso mundo interior!

As nossas coisas e nossos assuntos, íntimos, reais e verdadeiros. Estes sempre devem ter prioridade nas nossas preocupações. Afinal, se esquecermos dele, do nosso mundo interior, poderemos nem sequer ter a preocupação com o mundo exterior, onde talvez nem existirá nem um nem outro…

Abraça-te primeiro!


Preocupe-se consigo antes de tudo!

Assim tudo fica com mais sentido e compreensão!

Empoderamento – mulher, será que você quer imitar os homens?

Artigo Anterior

Pegue todos os seus estilhaços e monte um belo vitral!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.