publicidade

Não aceite nada menos que o melhor!

Não aceite nada menos que o melhor! Geralmente, aceitamos as migalhas que são oferecidas achando natural e agradecendo por pelo menos ter migalhas para receber. Não percebemos que para receber o melhor não podemos nos contentar com pouco.

O ser humano é complicado de ser entendido. Não é a toa que existe a Ciência da Psicologia para estudar e tentar entender o que se passa na mente das pessoas. É um estudo sem fim, pois há muita complexidade no interior de cada ser pensante.



 Amamos nos outros o que amamos em nós mesmos. Rejeitamos nos outros aquilo de que não gostamos, mas não conseguimos ver em nós mesmos.- Iylanda Vanzant

O que nos torna complexos e misteriosos tem a ver com nossa criação, experiências vivenciais, relacionamentos, situações mal resolvidas, discussões inacabadas. Para cada experiência vivida, seja ela boa ou má, guardamos no nosso subconsciente uma forma de autodefesa, para quando precisarmos, um dia.

O que fazer quando se vive uma confusão interna em relação aos relacionamentos? Refiro-me aqui aos relacionamentos gerais:  de trabalho, família, entre amigos, romântico. Muitas vezes não falamos tudo o que temos para falar e não ouvimos bem o que o outro tem a nos dizer. Como resolver isto? Falando com clareza e ouvindo muito bem.


É muito importante sermos claros em nossas explanações. Explicar o que queremos e o que precisamos.

Dizer a verdade para si mesmo e para os outros. Às vezes, é muito difícil falar a

verdade, dizer o que está sentindo em função do medo. Medo de perder o emprego, medo de perder a amizade de uma pessoa querida, medo de perder a pessoa que ama, medo de se indispor com um parente próximo. Percebeu? Medo da PERDA! Não gostamos de perder nada e nem ninguém. Mesmo que o relacionamento seja nocivo, temos medo de perder. É como se estivéssemos na zona de conforto, com medo do desconhecido. Se eu perder fulano ou fulana, o que será de mim? A convivência é difícil, mas pelo menos eu “sei” como lidar com ela, com ele.

Geralmente, aceitamos as migalhas que são oferecidas achando natural e agradecendo por pelo menos ter migalhas para receber. Não percebemos que para receber o melhor não podemos nos contentar com pouco.

Devemos querer o melhor sempre. Porque merecemos. Assim como dar o melhor também é importante.


É imprescindível prestar atenção aos sinais que agem como sinetas anunciando que alguma coisa não está certa.

Você já ouviu falar de intuição, de sexto sentido? Se você tem intuição, apegue-se a ela. Sempre, em 100% dos casos ela está certa. Mas, ignoramos a intuição, na maioria das vezes, e caímos na armadilha preparada por nós mesmos.

Ignoramos a intuição por medo. Mais uma vez o medo. Medo de ser injusto. Medo de não dar uma chance para alguém e perder uma grande oportunidade de um relacionamento bacana. Não é necessário ser injusto, mas se o sino da intuição tocar significa que está na hora de ter cautela.

Cautela se aprende com as experiências da vida. Depois de tropeçar, cair, se machucar, ser machucado.  O autoconhecimento aqui é muito importante.  Autoconhecendo-se é possível ouvir com mais atenção o seu eu interior (a sua intuição) a dizer ou a gritar: tome cuidado!

Conheça-se melhor, perca o medo e não aceite nada menos que o melhor!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: andriikobryn / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.