Não coloque a felicidade em algum lugar do futuro!

Você tem competência para ser feliz?

A felicidade genuína baseia-se na competência, mas não é a mesma competência exigida no trabalho.

É bastante triste ver que tanta gente tem o emprego apenas como uma maneira de sobreviver e não falo apenas daquelas pessoas que ganham salário mínimo, falo das pessoas que vivem angustiadas com as segundas-feiras de manhã, têm a depressão da música do fantástico domingo à noite e aquelas que sofrem com abusos morais devido ao mal convívio no trabalho.

O ideal é que o trabalho seja uma fonte de realização que completa a realização que se busca na família.

Metas e a felicidade

Quando falamos em termos de trabalho, é preciso ter metas. Essa semana vou vender o dobro, esse ano vou ser promovido, esse mês vou mudar de emprego, para mais próximo da minha casa…

Mas, se no lado profissional precisamos traçar metas, quando falamos em felicidade devemos abandonar os objetivos de futuro.

Quem põe felicidade em algum lugar do futuro, morre um pouquinho todos os dias.

-Ahh, quando eu me casar, serei feliz; quando ganhar 10 mil reais por mês serei feliz, Só se eu ganhar na loteria resolvo minha vida.

Você pode ser feliz aqui e agora. Não pense que ser feliz é tão difícil assim. Porque não é.

“As pessoas mais felizes são aquelas que parecem não ter nenhum motivo particular para serem felizes, só que são.”

O professor Clóvis de Barros, ensina que a “felicidade da vida é um momento que vale por ele mesmo”.

Geralmente esses momentos são simples contemplações, de estar perto de alguém, de ter um simples lar, ou de estar vivo.

Quanto menores forem os itens que deixam você feliz, mais feliz você é!

Parece que muitas vezes felicidade anda numa contramão do consumismo e do patamar social.

Um dado que mostra isso são os suicídios. A lista dos 10 países com maior taxa de suicídios do mundo alterna com regiões de grande pobreza e países de alto desenvolvimento econômico.

Países como Japão e Coreia do Sul, mesmo com ótima qualidade social-econômica, têm altas taxas de suicídios causados por depressão devido às pressões sociais e receio de se parecer fracassado, perante a sociedade.

Por isso, de fato, um fator primordial para alcançar a felicidade é a capacidade de lidar com os tropeços da vida e até rir disso, de vez em quando, e encontrar alegria em coisas simples todos os dias.

“A felicidade da vida é um momento que vale por ele mesmo”.  – Clóvis de Barros.

Lide com os tropeços da vida, e entenda que esses tropeços são inevitáveis, às  vezes.

Esse talvez seja uma das melhores formas de felicidade.

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: subbotina / 123RF Imagens



Deixe seu comentário