2min. de leitura

Não confunda bens com felicidade!

O tipo de carro que você tem, o tamanho da sua casa ou a rentabilidade dos   seus investimentos não fazem de você uma pessoa melhor ou pior. Lembre-se  daquilo que realmente importa na vida.



Imagine que hoje é o seu último dia na Terra. Agora, faça uma lista mental de todas as coisas que conseguiu,  todas as coisas de que se orgulha e todas as coisas que deixaram você realmente feliz.

O seu carro está nessa lista? A sua televisão? O seu smartphone de última geração? O seu  salário faz parte da lista? Não acredito.

O que está na lista são os elementos fundamentais de uma vida plena – seu relacionamento com seus amigos e sua família, suas contribuições para a felicidade dos outros, os momentos marcantes e de maior emoção. Estes são os alicerces da sua lista.

Muitas pessoas vivem dia após dia se enganando ao invés de investirem no         que é fundamental, priorizando esses valores, colecionam coisas materiais e prestígio sem questionar o que o sucesso  significa realmente.


Reaproxime-se dos antigos amigos e aproveite as oportunidades no trabalho ou na vizinhança para expandir suas amizades. As pessoas precisam sentir que fazem parte de um contexto maior onde há uma troca de afeto e atenção.

As relações íntimas de amizade são os fatores mais relevantes para a felicidade. Se você se sente próximo de outras pessoas, você tem mais chances de sentir-se bem consigo mesmo.

Em casa, no trabalho ou na companhia de amigos, seja uma pessoa que transmite otimismo e você verá que esse otimismo voltará para você e influenciará  favoravelmente sua vida.

__________


Direitos autorais da imagem de capa:  tomwang / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.