ComportamentoFelicidadeO Segredo

Não deixe que suas feridas te tornem alguém que você não é

não deixe que suas feridas te tornem alguém

“É sempre necessário saber quando uma etapa da vida está terminando. Se você insistir em permanecer nela além do tempo necessário, perde a alegria e a sensação de descanso. Encerrando ciclos, fechando as portas, encerrando capítulos, como preferir.



O importante é a fechá-los, e deixar ir momentos da vida que já se acabaram.

Nós não podemos estar no presente com saudades do passado. Nem mesmo nos perguntando por que. O que aconteceu, aconteceu, e você tem que deixar ir, tem que descartar. Nós não podemos ser eternas crianças, ou adolescentes atrasados ​​ou funcionários de empresas inexistentes ou ligados àqueles que não querem ser ligados à nós.

Os  momentos passam e você tem que deixá-los ir!”


Paulo Coelho

Embora muitas vezes retrocedamos ao nosso passado e aplicamos os seus ensinos, em muitos casos perdemos nossa identidade emocional como resultado dessas feridas que permanecem abertas.

Isso faz com que a ferida se torne cada vez mais infectada, o que limita nossa capacidade de sermos nós mesmos e validarmos nossas emoções.

Estamos, provavelmente, muito acostumados a vivermos com uma dor latente que não queremos entender, e até mesmo o nosso cérebro se desconectou para evitar sofrimento.


Mas, no fundo, sabemos que isso é o que está nos impedindo de avançarmos.

“A verdade é que, embora digam que o passado é um velho amigo que devemos saudar de longe com a cabeça, devemos atendê-lo e curá-lo para evitarmos “nos acomodar” em viver nele.”

Limpar nosso passado e desinfectar nossas feridas

“O que apreciamos uma vez, nunca perdemos. Tudo o que amamos profundamente se torna uma parte de nós mesmos.” – Bernardo Stamateas


A grande questão é: com o que se infectam as feridas de nossa alma? Com sacrifício, com raiva, com medo do abandono, com deficiência, com a solidão, com a traição, com a falta de apoio, falta de compreensão, com tristeza, com dolo, com desejo e culpa.

Na verdade, muitas vezes nos encontramos na mesma lesão durante muito tempo. Mas o que podemos fazer para nos curarmos permanentemente?

  • Informe-se dentro de si mesmo e encontre os seus ferimentos. Onde dói? Você está desconfortável falando sobre algo ou alguém? Faz você se sentir triste ou com raiva? Desde quando? Por que você acha que isso pode estar acontecendo?

  • Fale sobre tudo. Pode não ser fácil, porque, além de nos ferir, nossas feridas nos limitam. Esvaziar-nos é um magnífico bálsamo de reparação.
  • Drene suas feridas e deixe que escorram, isso significa cura. As feridas de nosso passado emocional apodrecem sentimentos, emoções e pensamentos que nos magoam. Portanto, devemos parar de perpetuar sua estadia dentro de nós, pois vivem à nossa custa.

Drene suas feridas chorando, expulsa sua dor. Faça o que quiser, mas condene o seu sofrimento, feche a porta e não o deixe entrar novamente. Em seguida, vai sentir que começa a ter a sua identidade.



Solte!!

Se não traz alegria para sua vida … SOLTE

Se não te ilumina ou constrói … SOLTE


Se permanece, mas não cresce … SOLTE

Se procura segurança de modo a evitar o esforço para desenvolver a si mesmo … SOLTE

Se não reconhece seus talentos … SOLTE

Se não acaricia seu ser … SOLTE


Se não impulsiona seu desapego … SOLTE

Se diz, mas não faz … SOLTE

Se não há um lugar em sua vida para você … SOLTE

Se tentar mudar-te … SOLTE


Se impõe o ‘eu’ … SOLTE

Se há mais desencontros do que encontros … SOLTE

Se simplesmente não adicionar nada à sua vida … SOLTE

Solte … A queda será muito menos dolorosa do que a dor de manter-se agarrado ao que JÁ FOI, MAS NÃO É MAIS.

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa

Deixar ir é aceitar a sua história, não o seu destino

Artigo Anterior

O oposto do amor não é o ódio, mas o medo

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.