Não espere que um momento de dor ensine-o a valorizar a vida.

5min. de leitura

Nós temos fé na vida, na nossa vida. E raramente pensamos no seu fim. Vivemos como se fôssemos eternos.

Quando fazemos planos para o nosso futuro, a gente acredita que ele vai chegar. Quando programamos uma viagem com antecedência e até começamos a pagar as despesas, a gente acredita que, na data programada, estaremos bem e poderemos embarcar.



Quando decidimos cursar faculdade e esperar anos e anos ansiosos pela formatura, a gente também acredita que estaremos vivos para alcançar esta vitória.

Isto se chama fé.

Nós temos fé na vida, na nossa vida. E raramente pensamos no seu fim. Vivemos como se fôssemos eternos.

Sabemos que um dia não estaremos mais aqui, mas não sabemos o dia da nossa partida. É bom que seja assim, pois imagino que não seria nada agradável viver tendo conhecimento do nosso último dia de vida.


É bom que não saibamos. De todas as surpresas da vida, esta é a mais justa.

O que quero dizer com esta reflexão sobre nossa existência?

Que a vida é a coisa mais valiosa que temos. Que perdemos tempo buscando conquistar riquezas quando a nossa maior riqueza é a própria vida.


Na infância, a gente acredita que há um pote de ouro no fim do arco-íris, mas quando nos tornamos adultos, descobrimos que o próprio arco-íris é o pote de ouro.

São pequenos detalhes que não aprendemos a apreciar, a valorizar.

Admirar os primeiros raios de sol, por exemplo, não significa apenas que um novo dia está nascendo, significa que você está vivo para viver este novo dia.

Mas o que fazemos muitas vezes é reclamar por ter que acordar antes mesmo do dia clarear.

Todas as manhãs, quando seu despertador  acordá-lo, agradeça por ouvi-lo. Ele só quer ser o primeiro a  lembrá-lo de que Deus te concedeu mais um dia de vida.

Não espere que um momento de dor ensine-o a valorizar a vida.

Não espere que sua vida, ou a vida de quem você ama esteja por um fio para enfim descobrir o quanto ela é valiosa.

É comum que as pessoas comecem a valorizar a vida após serem surpreendidas por alguma enfermidade, acidente ou algo que traga dias difíceis.


Mas será que precisamos mesmo levar um susto para percebermos o quão milagroso é o fato de acordarmos todas as manhãs?

Supõe-se que após uma noite de sono despertaremos no dia seguinte e cumpriremos normalmente a nossa rotina. Mas quantas pessoas deitaram-se com este pensamento e não puderam ver o novo amanhecer?


Valorize as pequenas coisas. Não perca tempo com discórdias. Perdoe sempre que possível. Não durma magoado com quem você ama.

Cuide da sua saúde, não adie aquela consulta que há tempos você está planejando. 

Compartilhe sorrisos e bons momentos com quem você ama. Aliás, não perca a oportunidade de declarar seu amor, sempre que tiver chance. Mas não seja hipócrita fingindo um amor que não sente. Aja com sinceridade em seus relacionamentos. Seja justo consigo mesmo e com o outro.


Seja sempre grato (a).

Agradeça a Deu por tudo que ele lhe permitiu possuir, mas acima de tudo, agradeça por abrir os olhos a cada manhã. Por poder caminhar, ainda que o caminho lhe pareça longo. Por poder ouvir, ainda que digam algo que lhe aborreça. Por poder falar, ainda que em alguns momentos você não saiba o que dizer.


Agradeça pela chuva, pelo sol, pela água que mata sua sede.

Agradeça até mesmo pelos maus momentos em sua vida, pois eles te ensinam a ser forte.  Pelas pessoas perversas que cruzam o seu caminho, pois elas te ensinam a ser diferente delas.


Enfim, ame sua vida porque ela é insubstituível.

Como diz Ana vilela, em umas das mais belas canções dos últimos tempos,

“A vida é trem-bala, parceiro. E a gente é só passageiro prestes a partir.”

E enquanto o trem não chega, seja sempre grato (a).

____________

Direitos autorais: halfpoint / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.