3min. de leitura

Não espere tanto de alguém que dá tão pouco

Às vezes, esperamos muito tempo para recebermos amor, carinho, atenção e vários outros sentimentos que nos faz sentirmos amados (as).


Uma boa parte de nossas vidas esperamos por afeto, abraço, e quem não gosta de ouvir um elogio, um “eu te amo” de quem amamos?

Só que a gente cansa em espera algo por muito tempo. Todos nós temos sentimentos e tudo tem limite.

A ausência de afeto destrói os mais belos sentimentos, então chega um momento em que precisamos dar adeus às coisas e também às pessoas.


Certa vez, quando eu ainda era criança, minha avó materna disse uma frase e agora, depois de adulta, eu compreendo o que ela queria dizer naquela situação.

Ela costumava resumir o adeus com essa frase: “A ingratidão tira a afeição”. É verdade, tira mesmo.

Às vezes, não percebemos quando o amor acaba. A única certeza que temos é que alguém contribui para ele morrer.

Quando o sentimento não é nutrido, a gente se perde nas mazelas da vida. Buscar de volta o que não existe mais é querer se eximir da culpa.


Verdadeiramente, existem vários fatores e momentos misturados, determinadas atitudes e sentimentos, tornando os dois lados culpados, destruindo os mais belos sentimentos: “Amor”, “Gratidão” e “Interesse”.

Dói muito dizer adeus, e dói mais ainda ficar alimentando o que já morreu, agindo assim só vai piorar a situação e aumentar mais ainda a cicatriz.

É preciso arrumar as malas e partir, levando conosco o aprendizado, seguindo o nosso caminho e permitindo que um dia alguém possa mudar a nossa história, todos nós podemos e devemos ser felizes, todos nós temos o direito amar e sermos amados (as), com a dignidade de viver uma nova história.

Acredite, alguém entrará na sua vida para curar suas cicatrizes. Colocará brilhos nos seus olhos. Essa pessoa fará seu coração pulsar mais forte, e quando ele (ela) o abraçar, juntará os pedacinhos que alguém um dia espalhou.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: azgek / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.