Não há como ser feliz no amor, enquanto eu não me tratar como quero ser tratado(a) pelo outro

Como ser feliz no amor?

Não há como ser feliz no amor, no relacionamento a dois, enquanto eu não souber me relacionar comigo mesmo. Enquanto eu não me amar, enquanto eu não for para mim o amor da minha vida, enquanto eu não me tratar como eu quero ser tratado(a) pelo outro.

Quantas vezes você quis que o outro estivesse ali para curar a sua dor, para suprir a sua solidão, para preencher o vazio em que se encontrava? Quantas vezes você quis que o outro pudesse lhe dizer que vai ficaria tudo bem: “eu estou aqui com você, você está seguro comigo, eu te amo.”

Diga, seja sincero consigo mesmo, quantas vezes essa carência lhe gerou conflitos, sem nunca resolver nada, pois você impensadamente fazia besteiras controlando o outro, com ciúmes e brigas.

Será que isso é amor?

Não, isso é qualquer coisa menos amor. Amor é bom, é agradável, é leve, é gostoso, é fluido.

Mas você provavelmente nunca teve amor, veio de uma família onde não tinha amor, não teve exemplo de amor, apenas de apego, de solidão, traição, abandono, desprezo. Copiamos esses exemplos para viver na nossa vida, mesmo que o que experienciamos com nossos pais e familiares foi apenas dor e dissemos que nunca viveríamos aquele tipo de amor, hoje pode ser exatamente o que vivemos, a história se repete.

E agora? Será possível viver o amor, ser feliz a dois?

Sim, o coração pulsa para dizer que sim, quer viver, mesmo que os desafios mostrem o contrário. É você que vai mudar a sua história e de seus descendentes fazendo algo diferente. Como diz na constelação familiar, podemos fazer algo diferente do que nossos pais, familiares e antepassados.

Para ser feliz no amor a dois é preciso ser feliz sozinho.

Quantas vezes já ouviu essa frase, mas nunca conseguiu entender e colocar em prática em profundidade? Pois tudo aquilo que você espera do outro, que quer que o outro faça a você, que quer ouvir do outro, você deve fazer e dizer a si mesmo.

Sim, seja o amor da sua vida. Se estivesse namorando consigo mesmo, o que gostaria de ouvir? Fale para si.

O que gostaria que o seu amor lhe fizesse? Faça a si mesmo o que quer que o outro lhe faça.

Como gostaria de ser tratado? Trate a si mesmo da forma como gostaria de ser tratado por seu amor. Onde gostaria de passear com seu amor? Leve-se para passear e sinta a mesma alegria de estar com seu amor. Afinal, você precisa ser o amor da sua vida.

E se estiver triste, gostaria que seu amor cuidasse de você e o preenchesse. Preencha-se de amor e de frases como: “está tudo bem, estou aqui com você.”

Cuide de si como quer ser cuidado. Somente você pode se dar esse amor e sabe do que precisa. Outra pessoa não pode saber do que você precisa, ela não é você.

Quando uma outra pessoa vem na sua vida, ela tem a mesma vibração que a sua. Se estiver em pedaços, saiba que o outro também estará em pedaços e não conseguirá dar o que não tem. O outro é bem assim como você.

Agora, imagine se você estiver feliz, inteiro, cheio de amor e cuidado para consigo, como virá essa pessoa para você? Pela lei da cocriação, criamos a nossa energia e ela vai e volta com a lei da atração, trazendo-nos alguém igual.

Então, é óbvio que trará alguém inteiro e feliz como você, que se cuida, que se ama, que se acolhe, que se resolve. E aí, qual será o resultado dessa relação a dois? É matemático: felicidade na certa, porque são duas pessoas curadas, inteiras, felizes, completas, somando alegrias e todo o bem.

Gostaria que refletisse sobre essa leitura e se fez sentido para você, que tal começar a mudar? Você pode, você consegue!

Abraço de boas vibrações!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/gstockstudio.



Deixe seu comentário