Não há nada melhor nessa vida do que liberdade a dois!



Ser livre ao lado de quem se ama é uma das melhores sensações dessa vida!

E não estou falando de relacionamento aberto, de troca de parceiros, estou falando de coração aberto, troca de energias; reciprocidade.

Poder ser somente quem verdadeiramente se é e ser aceito, amado e acolhido é como encontrar um oásis em meio a um árido deserto; o deserto que nossas almas enfrentam sozinhas neste mundo, quando não encontram o AMOR, o genuíno e maravilhoso amor.

Aquele amor que sabe que ninguém detém a perfeição e as Verdades Universais e por isso aprecia todo aprendizado que encontra pelo caminho; aquele amor que sabe que ninguém possui ninguém e que tampouco gosta de ser possuído e aprisionado em uma gaiola pequena.

O AMOR, tão imponente e magnânimo e tão sutil e leve ao mesmo tempo.

O amor que não se deixa confundir com dependência, nem posse, nem carência, o amor que sabe o seu valor e que, por isso, não se oferece a qualquer um em qualquer esquina.

O amor apaixonado dos poetas em versos e rima; o amor que de tão singelo, fascina. O amor é altruísta. Ama só por amar.

Quem encontra o amor legítimo em um ser, nunca terá vontade de o deixar. E que ironia, não é? Ficar preso porque se quer… poder ir e escolher ficar. Voar e ter sempre onde pousar.

Ter um amigo, amante, confidente e cúmplice numa mesma pessoa,  alguém que dê paz para o seu espírito, mas que nos  inquiete o corpo vez ou outra e que exista uma certa dose de inversão, é como ganhar na loteria… a loteria do coração!

Busque alguém que lhe indique o melhor caminho mas que não o force a segui-lo, alguém que não lhe pode as asas e lhe aperte o freio a todo instante, alguém que o solte no mundo porque gosta de admirar teu voo…

Acho que se queremos muito mudar o outro, é porque ele não é quem nós queremos ter ao nosso lado. Então, ao invés de magoar e tentar acomodar o parceiro de qualquer jeito, numa forma que não lhe cabe, melhor deixá-lo ir e encontrar alguém que ame o que para você era defeito. E acredite, sempre tem alguém que amará aquilo que outro reclamava.  A isso chamamos ENCAIXE. Às vezes, os corpos se encaixam, mas as almas não e vice-versa. E que bom que é assim!



Se você está lutando para se enquadrar aos padrões de alguém e sente que nunca será o bom o suficiente, permita-me dizer: VOCÊ JÁ É BOM O SUFICIENTE! Mas para uma outra pessoa, que nesse exato momento está em algum lugar, rezando aos Deuses para encontrá-lo.

Desconheço sensação melhor do que poder chegar em casa e despir-se. Despir-se das roupas e dos escudos, do armamento e das máscaras que usamos para nos proteger e sobreviver à loucura deste mundo. Poder chorar quando se tem aquela vontade quase infantil, poder gargalhar sem o menor pudor de uma coisa vil… poder falar o que se pensa sem pisar em ovos o tempo inteiro. Ter seus momentos de mau humor e tristeza, mas ser sempre VERDADEIRO.

Deixar o companheiro pôr pra fora; desmoronar; ouvi-lo em silêncio, é mais eficaz que qualquer terapia e vê-lo reconstruir-se com um abraço forte e um sorriso cúmplice, é a mais linda magia!

Eu não tenho grandes problemas com quem cospe seus sapos e aumenta o tom de voz, mas tenho medo, pavor imenso, de quem muito rumina,  mas não digere nunca… de quem guarda rancores no âmago, de quem não grita mas só destila veneno.

O âmago é o bauzinho secreto da alma! Para que guardar coisas ruins ali?

Gosto de quem sabe dizer seus “Nãos” com sutileza e seus “Sims” com firmeza. Gosto de quem muda de opinião, de quem admite seus erros sem grandes problemas e que se dá o devido mérito quando o tem. Gente que admite fraqueza e saudade, que demonstra amor sem precisar dizer uma palavra e reconheço como legítimos ataques de ódio, que se dissipam minutos depois.  Essa é a verdadeira magia da vida a dois.

Almejar ser uma pessoa melhor por espontânea vontade e não por obrigação. Estar onde se está pelo simples desejo e não por imposição. Pegar o outro pela mão e evoluírem juntos… dar a mão por vontade e não por mera formalidade e entender que o realmente importa é seguir na mesma direção e não só a velocidade; aceitar o “Timing” do parceiro e entender que, às vezes, as diferenças nos completam, é o que constitui um relacionamento sadio e consequentemente duradouro.

Aceitar o outro como ele é, com seus altos e baixos, qualidades e defeitos, é o maior gesto de respeito que se pode ter. É a maior prova de amor que existe!

_________

Direitos autorais da imagem de capa: pressmaster / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.