5min. de leitura

Não importa como o mundo o vê, o que importa é como você vê o mundo!

A maioria de nós vive em busca de alguns ideais de perfeição, seja com relação à aparência ou o modo de ser e viver, o que reforça aquele velho ditado: “Ninguém está satisfeito com o que tem”.


Se por um lado isso nos faz melhorar, progredir e nos amar mais, por outro, pode se tornar uma perigosa armadilha!  

Devemos, primeiramente, compreender quem nós somos e o que gostamos em nós, tanto em relação às nossas características físicas, como as psicológicas e comportamentais, mas devemos enxergar, também, o que não gostamos.

Acredito que seja fácil responder essa questão, pois geralmente as coisas que nos incomodam já nos acompanham por longos tempos. Contudo, é bem difícil responder qual o real o motivo pelo qual nos sentimos incomodados com algumas características que possuímos.

Precisamos entender que existem características que podemos e devemos mudar, principalmente as de conduta: aquelas atitudes que nos fazem mal e atrapalham nossos relacionamentos com as outras pessoas.


Porém, existem alguns atributos que não são modificáveis pela nossa simples vontade, são traços físicos que, às vezes, nos perturbam, pois não nos aceitamos da maneira que nascemos, mesmo sendo uma questão genética, e isso pode trazer consequências negativas em nossas vidas.

O primeiro passo é tentar responder a seguinte pergunta: por que você não gosta de determinada característica e como gostaria de ser na verdade? Pense bem antes de responder, não devemos mentir para nós mesmos.

Agora reflita se sua resposta não está relacionada com o padrão imposto pela mídia?


Será que você realmente gostaria de mudar ou apenas acha que se seguisse os padrões impostos teria mais sucesso ou seria mais aceito e amado?

Corpos perfeitos, cabelos impecáveis, rostos e dentes extraordinários! Somos, diariamente, bombardeados por essas imagens, pois tudo isso nos é “vendido” como um ideal a ser perseguido. Contamos com inúmeros aplicativos que nos torna belos tais como os artistas de cinema e quando nos esquecemos dos filtros preferimos apagar a foto, porque a nossa verdadeira imagem não é boa o suficiente para receber “likes” nas redes sociais. Por que essa obsessão pela perfeição?

Quem disse que a beleza segue determinadas regras? O sorriso bonito não é o mais branco e alinhado, é o mais feliz e verdadeiro. O corpo mais bonito não se define pelas medidas, mas pela bela alma que habita dentro dele.

Somos muito mais do que a nossa aparência, somos o conjunto de características que nos fazem seres únicos e especiais.

Vamos listar as coisas boas que possuímos, além de olhar com mais gentileza para tudo que for físico e externo.  Afirme que você é bonito(a), ou melhor: você é lindo(a)! Agradeça ao invés de se queixar e você perceberá que não precisará mudar nada em seu corpo para ser feliz, basta, simplesmente, mudar suas atitu

des! Ame-se do jeito que você é e cuide do seu bem-estar, priorize, principalmente, a sua saúde! Permita sentir-se cada dia mais incrível e mude, apenas, o que for possível e realmente necessário, mas aprenda que você já está pronto para viver uma vida espetacular, independente de como você esteja por fora, pois o que determinará sua beleza, sua capacidade de dar e receber amor e seu o sucesso é como você está por dentro.

Lembre-se: não importa como o mundo o vê, o que importa é como você vê o mundo. Acredite em você e no seu potencial, você foi desenhado por Deus com exclusividade, não se compare com ninguém.

Sua beleza não cabe em nenhum padrão e, cá entre nós, é maravilhosa a liberdade de sermos quem realmente somos, por isso, ame-se incondicionalmente!

________

Direitos autorais da imagem de capa: bedya / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.