3min. de leitura

NÃO IMPORTA QUANTAS VOLTAS VOCÊ DÊ, NINGUÉM TE AMARÁ COMO EU…

Minhas mãos estão suando. Meu coração está acelerado, batendo alto em meus ouvidos. Meus sentidos estão embaralhados, como um sistema entrando em pane… Sinto que vou colidir a qualquer instante.


Seu perfume tomou o ambiente como de costume, elementos ousados e notas olfativas dinâmicas e amadeiradas me entorpecem com facilidade, como se fossem uma droga, cuja única finalidade é me fazer sucumbir.

Sinto meu peito doer, meus sentidos me convidam a sair da sala. É como se não houvesse mais nada a ser feito, para tentar reconstruir aquele abismo intransponível que havia surgido entre nós.

O que eu poderia dizer para que você me perdoasse? Eu não me perdoaria, é verdade. Mas perdoaria você se fosse preciso… Lembro-me com clareza de você dizendo que me odiava, que eu despertava o monstro que existia dentro de você, que eu despertava todos os seus instintos mais primitivos…


Lembro-me de você dizer que tinha medo de me machucar, de se machucar… E de dizer que me amava na mesma intensidade… Também me lembro de você me perguntar como alguém poderia sobreviver a isso…

No entanto, estamos aqui novamente. Dividindo a mesma sala enquanto alguém fala sobre as próximas estratégias para semana que vem, sobre a porcentagem de lucro, sobre a próxima reunião na sexta às 16h… E a única coisa que eu consigo pensar é se em algum momento você vai me olhar, porque eu mal consigo respirar.


Eu não sei você, mas eu gostaria muito de consertar as coisas, de começar do zero, e nos transportamos direto para o presente, onde deveríamos estar vivendo o agora, ao invés de remoermos as mágoas, os erros e as dores do passado.

Eu sei que você é prático, e que um problema é um problema mesmo que você o ame. Mas eu juro baby, eu posso ser melhor pra você. Eu posso ser alguém melhor pra nós. Porque não importa quantas voltas ao mundo você dê, você nunca vai encontrar alguém que te ame como eu amo você.

Então, por favor, amor! Reconsidere. Você me ensinou a não ter vergonha do amor, de voltar atrás… Me mostre na prática como é ser alguém melhor… Melhor como você…

Deixe-me tocá-lo só mais uma vez, e permita-se sentir o amor reviver em nós, e que como por um milagre, você esqueça suas dores, seus rancores, seu ódio, todas as suas revoltas, e os seus muros caiam…

E a gente a gente possa, finalmente, voltarmos a sermos um.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.