Não importa quão bem-sucedido você seja, se não resolver seus karmas, terá fracassado em sua vinda à Terra

Parece complicado e até impossível, mas, segundo o espiritismo, a família é lugar de resgaste de dívidas passadas.

Juntamo-nos àqueles com os quais temos que realizar acertos de contas. Fato correspondente é narrado pelo espírito de André Luiz, através da psicografia de Chico Xavier no livro “E a vida continua…” que conta a história da vida de Túlio Mancini e Caio Serpa, na briga pelo amor de uma mulher. Evelina se apaixonou pelo melhor amigo do namorado. Com medo de perder a sua amada, Caio procura seu amigo Túlio e o acerta um tiro no peito. Jamais fora condenado porque a polícia acreditou na versão de suicídio. Porém, após o casamento, Evelina desencarna em virtude de um tumor. Algum tempo depois, Caio Serpa casa-se novamente e tem um filho chamado Pedro, que era, ninguém menos, do que a reencarnação de seu melhor amigo, Túlio Mancini de quem era o assassino.

E, assim, todo rancor do passado se mistura ao amor do presente e, na maioria das vezes, é desse paradoxo que se originam os conflitos familiares. Alguns tantos inexplicáveis nessa vida, porque precisamos amar e ser amados, proteger e sermos protegidos por alguém que nos deu um tiro, que roubou nossa fortuna ou que nós mesmo o traímos e desgraçamos o destino.

E devemos a ele, agora o afeto e o respeito de um familiar e, então, chamamos nosso inimigo de outra vida de irmão, pai, mãe ou filho.

E tal situação é bem mais comum do que imaginamos, pois esse encontro nasce do erro e, muitas vezes, de um crime. Por isso, tem primordial importância na evolução espiritual, pois a família é onde se reúnem almas afins no comprometimento com a lei de causa e efeito. Consiste em um grupo espiritual que se junta em uma experiência aqui na Terra, com o propósito comum entre seus integrantes de desfazer ou modificar os equívocos do passado e, principalmente, para aflorar suas afinidades e qualidades, curando desafetos.

Para lidar com essas adversidades das reencarnações, precisamos ver a família e agregados como o porto à nossa reforma íntima neste plano e nos abrirmos às situações transformadoras que tem o papel de educar e superar nossos instintos inferiores e estimular a generosidade em nossas almas, através do desenvolvimento do amor.

Ou seja, devemos exercitar o perdão e reconstruir uma história linda para o futuro do nosso espírito, deixando para trás as agruras do passado.

Apenas o laço familiar será sempre maior do que qualquer resquício de ódio. Um amor incondicional de uma mãe por um filho é capaz de tamponar os rancores do passado. Somente a correção de um pai, para desfazer as más influências que exerceu sobre o filho em outra vida. Ou a fidelidade de um irmão que cometeu uma grande traição anteriormente. De fato, a razão não importa. O que realmente precisamos compreender é que a família é a escola diante das provas da vida e da evolução do nosso papel no universo

Caio tem a chance de mudar seu erro amando e protegendo a nova vida daquele que outrora impediu de viver. E, assim, você também deve ter um resgate a fazer, principalmente, com os parentes que você tem mais conflitos ou sente raiva. Então, repense sua atitude, tenha um outro olhar. Perdoe na fé, mesmo sem saber o que e tente reconstruir uma relação com amor, em vez de desperdiçar a chance que ganhou de Deus, ao lhe permitir uma nova existência.

Não importa quão bem-sucedido você seja no mundo material, se não resolver seus karmas terá fracassado em sua vinda à Terra, pois ter êxito na vida é evoluir o espírito, resgatar dívidas, auxiliar o próximo e desfazer rancores. Por isso, seja qual for a sua situação com sua família, você tem a função divina de melhorá-la.

Faça o que pede o amor e leve dessa vida a doce sensação de missão cumprida. E Deus sentirá orgulho da sua alma.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/inesbazdar



Deixe seu comentário