Não informe ao outro além do que ele precisa saber



“Prudência e água benta não fazem mal a ninguém”, alerta o ditado popular.

Em momentos de empolgação ou de tristeza, falamos pelos cotovelos, informamos ao nosso ouvinte mais do que ele precisa saber.

Nem tudo precisa ser dito ao outro, precisamos ter essa prudência. Não é sensato sair falando aos quatro cantos que seu filho está com problemas; que seu marido ou esposa foi flagrado(a) por você com outro(a); que você não pagou o condomínio porque não sobrou dinheiro; que o IPVA do seu carro está atrasado; que você e seu cônjuge não se dão bem há 6 meses, e por aí vai.

Se tiver que falar sobre qualquer uma dessas situações, fale somente com quem pode e tem interesse em ajudar. Por que dar munição aos curiosos de plantão?

Você acha interessante ver a sua vida e a vida da sua família sendo pauta para os fofoqueiros do seu condomínio, da rua ou do bairro?

Eu fico impressionada com a forma que algumas pessoas se expõem. Elas jogam ao vento detalhes tão constrangedores e delicados de suas vidas!

Tudo bem, não é saudável nos transformar em ostras, silenciando as nossas dores, contudo, é necessário o mínimo de critérios sobre o que falar e com quem falar.



Nem todo mundo que diz se importar, importa-se de fato, muitos só querem tomar conhecimentos das nossas mazelas para jogar no ventilador.

Muito cuidado, pois como sempre digo: as consequências de expor os problemas às pessoas erradas poderão ser bem piores do que as de sofrermos calados.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.