ColunistasComportamentoReflexão

Não insista! o passado não te quer de volta.

passado

Eu tinha aquela mania chata de ficar remoendo coisas que aconteceram durante dias, meses e anos e muitas vezes me perguntando: “por que não fiz aquilo? ” “E se eu tivesse ido? ” “Como seria se ontem eu tivesse tomado outra decisão? ”

Caramba, quem somos nós pra saber? Quem sou eu agora pra viver remoendo aquilo que já passou, que ficou lá trás, no ontem?

Shakespeare já dizia que “lamentar uma dor passada no presente, é criar outra dor e sofrer novamente” e eu concordo com ele, impossível descordar! Aquilo que não deu certo na minha vida ontem não pode se tornar o meu presente, nem se eu quisesse e pudesse!

Eu aprendi, com dificuldade (claro), que tudo que fiz ficou pra trás, que as minhas chances perdidas também ficaram pra trás assim como aquele amor que eu não correspondi e descobri bem depois que queria e já era tarde demais. Ou aquele caso mal resolvido que vive nos perseguindo tal feito uma sombra nos dias presentes sem sequer permitir que eu aceite novos horizontes já que estou preso demais às lembranças passadas, às coisas que não deram certo e que se perderam em algum lugar.

Não adianta insistir. Aquilo que passou, passou! O tempo não volta pra consertarmos nossos erros, o tempo não volta pra dizer um último adeus e nem pra dizer que amava. Ele não volta! A vida é feita de fases onde cada uma tem seu lugar no tempo. Você vive o presente, o aqui e o agora. Se o que tiver feito não foi o suficiente, já era, já passou, já virou passado e não é mais o aqui e agora. Não há o que consertar, não há pelo que esperar, entenda! A vida, queira você ou não, vai te jogar pra frente e nunca pra trás e ficar aí sentado esperando que o passado volte é um erro ridículo e sem sentido.

Entenda, porque eu, apesar do tempo que levei, que perdi, eu entendi que o passado não nos quer de volta, ele quer ser apenas ele, do jeito que as coisas foram, do jeito que você escolheu mesmo que tenha se arrependido. A vida foi feita para seguir, siga seu caminho, construa novas estradas e escreva uma nova história! Ficar sentado na beira aguardando um dia, quem sabe, seu amor voltar, seu dinheiro, seu brinquedo de volta é perda de tempo e amor por tudo aquilo que ainda pode conquistar e por você mesmo.

Deixa ele lá, que não nos quer. Eu também não quero voltar. Tenho oportunidades à minha frente, tenho muito a aprender. Se eu errar novamente, que seja! Mas, implorar a Deus que o passado volte, eu não vou não, por que hoje eu entendo como as coisas funcionam, entendo que tudo segue seu curso como se já estivesse escrito em um quadro branco antes de eu nascer. Faço algumas alterações, é normal. Mas não posso voltar, só seguir.

Cris Souza Fontês
Escritora, blogueira, amante da natureza, animais, boa música, pessoas e boas conversas. Foi morar no interior para vasculhar o seu próprio interior. Gosta de artes, da beleza que há em tudo e de palavras, assim como da forma que são usadas. Escreve por vocação, por amor e por prazer. Publicou de forma independente dois livros: “Do quê é feito o amor?” contos e crônicas e o mais espiritualizado “O Eterno que Há” descrevendo o quão próximos estão a dor do amor. Atualmente possui um sebo e livraria na cidade onde escolheu viver por não aguentar ficar longe dos livros, assim como é colunista de assuntos comportamentais em prestigiados sites por não controlar sua paixão por escrever e por querer, de alguma forma, estar mais perto das pessoas e de seus dilemas pessoais. Em 2017 lançará seu terceiro livro “Apaixonada aos 40” que promete sacudir a vida das mulheres.