ColunistasComportamento

Não me permito ter inimigos!

Claro que existem pessoas que não gostam de mim e de quem eu também não gosto. Óbvio que algumas pessoas já me magoaram ou prejudicaram ao longo da vida. Mas por que daria a elas o privilégio de serem meus inimigos?



 Sim, O PRIVILÉGIO! Porque rotular alguém de inimigo é dar a essa pessoa um grande espaço na sua vida.

É muito comum pessoas se lembrarem mais dos seus inimigos do que dos seus amigos queridos, por exemplo. É viver um relacionamento de inimizade com essa pessoa. Sim, um RELACIONAMENTO, porque inimizades precisam de pelo menos dois lados, ou seja, de duas pessoas que concordam em viver a mesma situação.

Ter alguém como inimigo significa vivenciar com essa pessoa suas fraquezas e inseguranças. Porque uma pessoa odeia no outro aquilo que a incomoda, e se a incomoda é porque toca em suas próprias dificuldades e conflitos.


Uma pessoa odeia quem fala mal dela porque se preocupada muito com o que os demais pensam a seu respeito. Ou seja, porque é insegura sobre a imagem que passa ao mundo. Ou ainda, odeia quem inveja seu casamento porque acreditar que é invejada talvez seja a única forma de se sentir importante como “pessoa casada”, em uma relação que talvez o próprio parceiro não demonstre valorizar.

Esses são exemplos “genéricos”. Cada caso é um caso. Mas na grande maioria das vezes, o ser humano odeia quem o faz entrar em contato com seu lado mais frágil, mesmo que conscientemente não se dê conta disso.

Também é muito importante lembrar que o inverso é totalmente verdadeiro: odiamos quem nos toca em nossas fraquezas. Inimigos na verdade são apenas sinais externos dos nossos “inimigos internos”.

E quando a pessoa fez algo que realmente me deu motivos para odiá-la? Não precisa gostar da pessoa ou continuar convivendo com ela, e nem mesmo se obrigar a perdoá-la. Mas não parece estranho dar um lugar de destaque na sua vida a alguém assim? A pessoa lhe prejudica e você dá a ela atenção, tempo, uma parte da sua vida?


O que o outro faz fala sobre quem ele é. O que você faz é que fala sobre quem você é. O que o outro faz pode influenciar sua vida por algum tempo. Porém, o que você faz com o que o outro fez é que vai ter um impacto verdadeiro, positivo ou negativo, sobre sua vida.

Mas, e quanto ao inimigo? Bem, lembra quando eu disse que inimizade é, por natureza, uma relação?

Então! O inimigo na grande maioria dos casos não vai se satisfazer vivendo a inimizade sozinho, e tende a procurar um novo laço com alguém que esteja disponível para viver esse “jogo”, dando a atenção que ele precisa.


Coisas boas estão acontecendo o tempo todo… Você está usufruindo ou apenas reclamando?

Artigo Anterior

Não fique preso às coisas do passado, encerre todos os ciclos e abra espaço para o novo!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.