Comportamento

Não meça a vida do outro com a sua régua!

Se você gosta de dieta, academia e uma corrida no parque, ótimo para você, mas se prefere os prazeres da coxinha, da Coca-Cola e do sorvete, tudo bem também. Se você gosta de filmes alternativos, diretores conceituados e cinema europeu, bacana, mas se você gosta mesmo é dos filmes da Marvel, dos blockbusters e de comédia romântica, legal para você.



Se você sonha com o príncipe encantado e em casar e ter filhos, que bom, mas se você não se importa com isso e escolheu viver solteira, ótimo também. Se você decidiu fazer uma plástica para corrigir algo que te incomodava, que legal, mas se você não fez e está feliz com o que vê no espelho, muito bom também. Se você tem depressão e precisa de terapia e remédios, tudo bem, acontece, mas se você optou por se tratar com yoga e cromoterapia, tudo bem também (leia mais aqui).

Se você escolheu ser arquiteta, médica ou engenheira, ótimo para você, mas se vive de arte, design ou palavras, bom também. Se você é uma amante do parto natural e quer ter seu filho em casa, bacana, mas se quer o conforto da anestesia e fez uma cesariana, legal.

nao-meca-a-vida-do-outro-capa-e-foto-01


Se você adora uma churrascaria e não dispensa uma picanha, delícia, mas se escolheu ser vegetariana e não come carne, tudo bem. Se você viaja e gosta de hotéis de luxo, que bom, mas se você gosta da aventura e do mochilão, que incrível. Se você adora ir pra balada e se acaba de dançar, que divertido, mas se você prefere um boteco mais simples com cerveja e ovos coloridos, muito divertido também.

O que não é bom, nem legal, nem bacana e muito menos bonito é julgar e medir o outro com a sua régua. As suas necessidades não são as mesmas, seus desejos são diferentes, suas ambições, seus planos e sonhos. Isso se chama individualidade. Seria muito chato se todos fossem iguais a você, não acha? Se sua amiga quer continuar namorando aquele pé rapado, a escolha é dela. Se sua mãe desistiu de trabalhar para cuidar da família, ela sabe o que é melhor pra ela. Se seu namorado não quer ir pra academia, deixa ele em paz. Não adianta você tentar impor suas vontades e preferências na vida de quem não pensa como você.

Eu sei, você é esperta, tem experiência e sabe de coisas que os outros ainda não descobriram. Eu entendo, você quer ajudar e mostra para quem quer ver o quanto suas intenções são boas. Eu compreendo que seu objetivo é louvável e que você só está querendo ser proativa, mas vamos com calma, né? Cada um sabe o que é melhor para si. A gente sabe o que nos faz bem ou nos faz mal, o que é chato e o que alegra os dias, o que é gostoso de comer e o que não tem graça.

nao-meca-a-vida-do-outro-foto-02


Cada um sabe o que ajuda e o que atrapalha, o que adoça e o que azeda, não adianta você ficar insistindo para que alguém pense como você, isso não vai acontecer. Então, pare com essa mania feia de julgar e tente apoiar quem precisa.

Texto originalmente publicado no Superela. – Texto escrito por Monika Jordão


Leia mais: A arte de deixar ir – Sobre os conselhos que recebo para a minha vida


Evelyn glennie: a musicista surda que quer ensinar o mundo a ouvir!

Artigo Anterior

Para viver um grande amor, seja primeiro amor!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.