ColunistasRelacionamentos

“não podemos mudar o outro”

Não podemos mudar

Não podemos mudar o outro e nem devemos.



As pessoas estão vivenciando suas experiências individuais e se comportando da maneira que necessitam para seu próprio amadurecimento consciencial e aprimoramento íntimo, através de suas crenças e memórias.

Ninguém é “ruim” 100%.

Ninguém é “bom” 100%.


Se compreendermos que cada indivíduo está aqui para se desenvolver, como nós, deixamos de julgá-lo e passamos de um estado crítico para um estado de compassividade por aquele que nos é semelhante.

E que também é parte de nós, como parte de um TODO que somos.

O outro não existe porque é você. E é para isso que servem as relações. Não podemos crescer sozinhos.

Aquilo que você ama em alguém é o que você ama em si mesmo.


Aquilo que você critica em alguém é o que critica em si mesmo.

Aquilo que o incomoda no outro, existe em você, em algum nível, geralmente inconsciente. Aquilo que você cobra é justamente o que você precisa “se” dar.

Aquilo que o irrita é o que você não consegue fazer por você.

E isso acontece para que haja uma interiorização profunda e você possa trazer à consciência aquilo que precisa ser curado ou aceito.


Não negue nada em você. Não tente esconder sua mais profunda treva.

Quanto menos você quer olhar, mais você receberá pessoas e situações para que possa ver.

E é aí que tudo se repete.

Observe sua vida, o que você está “RE-vivendo”. Talvez, de uma maneira ainda pior, seja a sua própria consciência o encaminhando às suas curas.


É sua Divindade dando-lhe a oportunidade de evoluir.

Quando você cura algo em si mesmo, quando existe uma transformação daquilo que precisava ser visto, e foi, você muda. As situações mudam. Muda a vida. Tudo muda.

Aho!

Beijo no coração!



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: dglimages / 123RF Imagens


10 dicas para superar o fim de um relacionamento

Artigo Anterior

Respeitar é considerar sua opinião apenas uma possibilidade entre muitas outras

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.