4min. de leitura

Não se conforme com um amor que é apenas “ok”!

Lembro-me da noite em que o conheci. Naquela primeira noite, quase podia ver as faíscas voarem ao nosso redor, como pequenas estrelas invisíveis que flutuavam imperceptivelmente através dos fios soltos dos nossos cabelos rebeldes. Conversamos por horas e horas. Olhei nos seus olhos e sabia que seria amor.

Eu estava com medo.


O amor verdadeiro eclipsa todos os outros relacionamentos. Alguns descreveram isso como ver as cores pela primeira vez, quando tudo mais era preto e branco.

Desconcerta-me quando meus amigos me dizem que estão se sentindo “ok” sobre uma pessoa ou quando estão realmente apaixonados, mas a pessoa não tem certeza sobre o estado do relacionamento.

Talvez tenham medo, como eu tinha. Talvez já tenham sido feridos antes.


Ou talvez não fosse amor.

O amor não deve ser “ok” ou “meio”, ou “eu acho que sim”, ou “bom o suficiente por enquanto”, e, se for, devemos nos perguntar se esse é o tipo de amor que merecemos. O verdadeiro amor deve agarrá-lo pelo coração e ameaçar nunca deixá-lo ir. Deve ser “consumidor e para sempre” (pelo menos por enquanto).


Por que o amor deveria ser uma área cinzenta em seu coração e mente? Por que devemos reforçar o ego de outra pessoa ao ficar com ela, quando não somos amados? Para mim, as áreas cinzentas na minha vida amorosa sempre desapareceram para o preto.

Lembro-me de ter relacionamentos que eram “ok” e ficar neles por meses e meses, bem depois do seu prazo de validade. Eu estava vendo o melhor em alguém que nunca realmente me amaria da maneira que eu queria. Mas querer que algo fosse real não era real e, inevitavelmente, meu coração sempre se machucava porque a outra pessoa não sabia como se sentia, ou sabia, mas não tinha coragem para me contar.

Sempre haverá histórias de amor não correspondido. Essa é a natureza do amor. Mas eu desejava saber como jogar fora esses amores “ok” cedo e me poupar do sofrimento.

Por que deveríamos querer estar com alguém com quem nos sentimos mornos? A vida é curta. Por que passar o tempo em um relacionamento que é apenas “meio amor”?

Lembro-me da primeira vez que peguei uma mochila para ir a sua casa. Eu só ia passar a noite. Tive tanto medo que quase me virei e voltei para casa. Porque eu sabia o que isso significava. Eu sabia que por alguns meses ou anos depois, nossas almas estariam intimamente entrelaçadas, e meu coração seria puxado para um oceano brilhante e consumidor, do qual, provavelmente, nunca mais emergiria.

No entanto, eu mergulhei e nunca olhei para trás. E nunca lamentei uma vez.

______

Traduzido pela equipe de O Segredo  Fonte: Thought Catalog





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.