3min. de leitura

NÃO SE REDUZA AO PREÇO DE UM OBJETO, PARA QUE NÃO SE TORNE UM OBJETO DISPONÍVEL!

Qual é o teu valor?


Talvez a grande incógnita sobre a questão de nos valorizarmos ou não, é não sabermos quem realmente somos.

Se perdesse seus bens, sua casa, seu carro, seu emprego… Quem você seria? Uma pessoa menos importante? Por quê? Você é o que possui?

E se perdesse seu braço, sua perna, ou qualquer outra parte do corpo? Isso diminuiria seu valor? Você é o seu corpo?


Muitas pessoas, nessas situações, se sentem desvalorizadas perante a sociedade superficial em que vivemos. Não podemos modificar o mundo, mas qualquer mudança interior certamente pode modificar o mundo que nos cerca, quando escolhermos enxergar mais profundamente.

Bens materiais são como instrumentos, que precisamos tocar para vivermos a melodia do nosso sistema de vida. São necessários, mas não são nossos próprios sons, muito menos uma parte de quem realmente somos.

Um corpo “perfeito” que a moda fitness nos impõe, e que algumas pessoas correm desesperadamente atrás, também não é uma identidade. Cuidar da saúde e manter o corpo saudável é extremamente necessário, pois este é nosso maior instrumento para tocar a vida, e nele refletimos um pouco do que somos. Mas devemos ter a consciência que, quem somos não depende de um corpo perfeito para se manifestar. Basta nos lembrarmos de que Stephen Hawking, um dos cientistas mais inteligentes do mundo, viveu a vida quase toda (e ainda vive) praticamente paralisado em uma cadeira de rodas.


O teu valor vai muito além de tudo que possa ver e de tudo que possa ter. É o somatório de todos os conhecimentos e experiências que possui, o que forma teu bem mais precioso: Tua dignidade. Aos olhos da sociedade você pode ter um preço, mas aos olhos da tua própria vida teu valor é imensurável, pois a busca pelo conhecimento não deve cessar jamais.

Não se reduza ao preço de um objeto para que não te tornes um objeto disponível para qualquer um que se interesse apenas em utilizar e depois descartar. Você não tem preço, e sim valor! E lembre-se sempre que “a vida é um mar que te devolve o que você lançou…”





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.