ReflexãoRelacionamentos

Não tenha medo de assumir o risco de amar alguém que faz você se sentir vulnerável!

não tenha medo de assumir

“As pessoas não fazem você feliz, seus pensamentos fazem. As pessoas não te deixam triste, suas emoções deixam. Sua idade não te faz maduro, suas experiências o fazem. “- Anônimo



Ontem eu fui para a casa da minha melhor amiga Savannah e passamos muito tempo nos atualizando, pois ela vive em Milão e temos de nos ver a cada 6 meses. Ela mencionou um cara que está tentando ter um relacionamento com ela. Disse-me que ele é o cara mais doce que ela já conheceu e como ela realmente o quer como seu namorado, mas também como ela tem medo de ser ferida por ele. Ela foi ferida antes, então, esse medo é compreensível. Também mencionou como é independente e não queria depender emocionalmente dele.

Com tudo o que disse, eu fui para casa revendo essa informação e duas palavras apareciam constantemente na minha mente: “assumir riscos”.



O amor é sobre correr riscos.

Há muitas opiniões sobre o tema: correr riscos por amor é uma ideia boa ou terrível?! Mas no final não importa, nós corremos riscos de qualquer maneira. O medo é a arma mais poderosa na terra. Medo de ser ferido, de ser ridicularizado, de cometer erros, de falhar e não alcançar nosso objetivo. O medo pode impedir-nos de alcançar nossos sonhos, nossos objetivos ou até mesmo impedir-nos de nos arriscar com pessoas que querem o melhor para nós. Como eu disse para Savannah, é verdade, ela tem todo o direito de não confiar totalmente neste cara por causa de suas experiências passadas, mas se ela se esconder do amor, vai magoar a si mesma e aos outros. Se ela quer que essas feridas antigas sejam curadas, precisa dar-se uma chance de ser ajudada por alguém. É verdade, o tempo ajuda muito a curar feridas como essas, mas também precisamos nos abrir para outras opções que podem nos ajudar. Mais cedo ou mais tarde o amor vai nos pegar, e não há como impedir isso. Fomos criados para amar e ser amados e acho que todos concordamos que o amor é o melhor e mais indescritível sentimento do mundo.


É normal ter medo de se sentir vulnerável nas mãos de outra pessoa, mas se não fosse assim, não valeria a pena.


Todas as rejeições e os jantares sob a lua seriam facilmente esquecidos, se não fosse pela escolha de arriscarmos tudo por amor. Trata-se de confiança; confiança de que vamos ser segurados quando cairmos, de que estaremos acompanhados em nossos momentos mais felizes, e também nos mais tristes. Confiança de que seremos cuidados assim como cuidaremos.


É normal depender de outra pessoa.

É verdade que devemos fazer nossas próprias escolhas em nossas vidas, mas não é incrível quando você pode fazer outra pessoa ser parte dessa vida e saber o quão vulnerável você é ao fazê-lo? Precisamos aprender a nos tornar vulneráveis e não ver isso como uma fraqueza, mas como nosso traço mais bonito.



Tudo começa com uma escolha e desta vez a escolha é abrir o nosso coração e deixar outros conhecerem o nosso verdadeiro eu.

Deixe o mundo conhecê-lo por quem você realmente é e não por quem você quer que o mundo pense que você é. Ame, arrisque tudo, arrisque-se, machuque-se, volte e tente de novo; e nunca deixe que o medo o impeça de abrir seu coração àquela pessoa que está pronta para fazer sacrifícios por você. O amor é uma via de mão dupla, por isso, se você corre riscos abrindo seu coração, lembre-se de que a outra pessoa também está correndo o mesmo risco, deixando você conhecê-la como quem ela realmente é.

Os riscos são desafiadores e assustadores, mas o sentimento de superar nossos medos e atingir nossos objetivos é simplesmente indescritível, e quando os superamos por amor, é ainda melhor.


Como Peter Mc Williams disse: “Amar é um risco. E se não funcionar? Ah, mas e se funcionar?!”

_________

Traduzido pela equipe de O Segredo Fonte: Thought Catalog


Espalhe amor e luz dessas 12 simples maneiras:

Artigo Anterior

Nunca ignore essas 3 mensagens do seu coração!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.