Comportamento

“Nem se inscreva se tiver que buscar crianças na escola.” Empresa é criticada por anúncio de emprego

5 Nem se inscreva se tiver que buscar criancas na escola Empresa e criticada por anuncio de emprego

Os internautas criticaram o anúncio da vaga do clube de futebol veementemente,. A empresa retirou a proposta do ar em pouco tempo.



A busca por um emprego costuma ser um dos momentos de maior tensão na vida dos cidadãos em todo o mundo, pois implica em tentar se encaixar nos padrões de diversas empresas, organizar suas referências profissionais para se tornar o candidato mais atrativo possível, bater em inúmeras portas e ficar à espera de resposta, sem saber se será contratado ou não.

O atual contexto mundial, inflado pela crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, fez com que milhões de cidadãos perdessem os empregos, aumentando a desigualdade social e a insegurança alimentar. Qualquer anúncio ou proposta de emprego é capaz de mudar a vida de famílias, melhorando a qualidade de vida de muitas pessoas.

Mas nem sempre as empresas oferecem propostas efetivamente éticas, como o caso do clube de futebol “AFC Fylde”, que anunciava vagas para o cargo de gerente-geral. Com sede em Lancashire, na Inglaterra, o anúncio acabou chocando a população e viralizou nas redes como um exemplo de como não oferecer uma vaga de emprego.


Segundo reportagem no LancsLive, o anúncio era agressivo e dizia para não se inscreverem aqueles candidatos que estavam “buscando equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal ou se tivessem que buscar as crianças na escola duas vezes na semana às 15h30.”

As críticas foram instantâneas. O anúncio mostra uma empresa contrária à tendência de melhorar a flexibilidade dos funcionários, pensando na saúde emocional de cada um. Em pouco tempo, o clube retirou a proposta do ar, mas não emitiu nenhuma declaração sobre a reação do público, o que causou ainda mais revolta em todos que acompanhavam o caso.

Um dos candidatos à vaga disse que aquela era a descrição de um cargo mais passivo-agressivo que já tinha visto, e eles explicavam que o funcionário contratado trabalharia diretamente com o diretor do clube.

Na descrição, o candidato precisava ser capaz de “demonstrar um histórico de sucesso” em um cargo semelhante, experiência com futebol e habilidade de implementar um plano estratégico detalhado. Como os chefes estavam em busca de uma “liderança ativa”, pediram que os “moradores de escritório” não se candidatassem à vaga, bem como os que estavam em busca de equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional ou os que precisassem buscar os filhos na escola duas vezes por semana.


A exigência final era que o candidato morasse perto do clube para “mergulhar na comunidade local em todos os níveis”. As respostas foram instantâneas e a empresa duramente criticada, já que não queria permitir que seus funcionários “trabalhassem e ainda curtissem a vida”.

Em resposta à publicação, um usuário disse que não via problemas na empresa não ter flexibilidade, mas abominava a ideia de que flexibilidade e trabalho duro eram duas coisas opostas. O anúncio foi excluído e no local ficou apenas um link direcionando os candidatos para empregos semelhantes. O clube ainda não se posicionou a respeito do caso.

“Sou feliz por não ter cirurgias.” Aos 40 anos, Paris Hilton assegura que nunca fez preenchimento

Artigo Anterior

Mulher trans vence sua primeira luta profissional de MMA, mas é criticada por acharem “injusto”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.