4min. de leitura

Ninguém é forçado a trair. Só entra uma terceira pessoa na relação quando um dos envolvidos permite

A culpa é de quem trai. Só entra uma terceira pessoa na relação quando um dos envolvidos permite. Se a pessoa com quem você se relaciona o(a) trai, a responsabilidade é dela.


É muito curioso o fato de homens que são traídos por suas mulheres desenvolverem um forte desejo de vingança contra o outro envolvido, chegando ao ponto de, muitas vezes, atentarem contra a vida de uma pessoa que nem conhecem. Ou aquelas esposas que acreditam que levianas são as mulheres que saem com o seu “indefeso” marido.

Vou revelar um segredo a esses seres ingênuos: só entra uma terceira pessoa na relação quando o seu marido ou sua mulher permite. Os amantes assim o são em comum acordo. Ninguém força o seu cônjuge a trair. Uma mulher pode dar todo o mole do mundo para o seu namorado e ele simplesmente dizer não. Um homem pode ser lindo ou oferecer mundos e fundos para a sua mulher e ela, ainda assim, negar um encontro.

Fidelidade maior deve ser cobrada da pessoa com quem a gente se relaciona, de quem nos faz juras de amor, da pessoa com quem resolvemos dividir a intimidade, uma família e muitos anos da nossa vida.


A lealdade deve vir daquele que divide com a gente a vida, os sonhos, as esperanças e um dia a dia que nem sempre é tão fácil.

Você dá um duro danado, esforça-se por uma vida melhor a dois, trabalha pra caramba, com o objetivo de construir muita coisa, juntos, sonhando em proporcionar ao seu cônjuge e filhos uma vida melhor e, então, ele(a) o(a) trai e você vai atrás do(a) outro(a)? Essa lógica não fecha, concorda?

O que junta duas pessoas pode até ser a atração, mas o que as mantêm é a amizade. E essa mistura de sensualidade com carinho é o que se chama amor. Então, se lhe mentem e enganam, não existe amizade. E nenhum amor se constrói sem a proteção e o respeito do verdadeiro afeto.

Entenda que, se a pessoa com quem você se relaciona o(a) trai, a responsabilidade é dela. Agredir um terceiro ser envolvido, culpá-lo pela traição, é só uma maneira de tapar uma verdade bem clara: você fez uma escolha equivocada uma vez que, se seu cônjuge escolheu estar com outro ou outra e depois chegar em casa cheio de amores é atitude de quem não tem caráter, e, principalmente, é incapaz de amá-lo(a) como você merece.


Por isso, da próxima vez que o traírem, em vez de escolher odiar a pessoa que invadiu seu relacionamento, ame a si mesmo(a) e procure alguém a sua altura. Afinal, só continuam fazendo com a gente aquilo que a gente permite. Então, permita-se ter um relacionamento que realmente valha a pena.

Não é fácil, mas é possível, sim, encontrar amor com segurança, e essa busca começa no amor-próprio, até porque aceitar traições é a maior traição que podemos fazer a nós mesmos.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.