8min. de leitura

Ninguém te segura! é você que se segura nos outros!

 Para alguns instantes antes de continuar lendo esse texto e reflita se você está vivendo a vida que gostaria? Ou se você está realizando tudo que almeja. Será que não tem nada que você gostaria de fazer e não está fazendo? Pense…



Provavelmente você pensou e viu que existe uma lista enorme de coisas que você gostaria de viver, de fazer, de construir e que não estão acontecendo. Dentro de você existem uma série de decepções, desilusões, mágoas, tristezas, dores de sonhos não vividos, que continuam morando dentro de você.

Muitos deles você teve que jogar pra bem fundo no seu mundo interior pra não precisar rever, pra não precisar olhar pra eles e ver a dor daquilo que você não experimentou ainda.

Agora lá vai a pergunta que desencadeia uma série de histórias que você conta todos os dias. Por quê? Por que você não viveu, não fez, não realizou o que você gostaria.


ninguem-te-segura

É só fazer essa pergunta pra começar o dramalhão todo.

“Ah, eu não fiz porque não tinha dinheiro pra correr atrás dos meus sonhos…”


“Eu não fui porque me disseram que isso era uma ilusão…”

“Eu não podia, tinha um filho pra criar, uma mãe pra cuidar…”

“Me faltava tempo…”

“Eu não tinha condições…”

E a lista não para por aí, ela é interminável!

Talvez você não goste do que eu vá dizer, mas eu preciso falar pra tentar fazer você acordar: Tudo isso que você diz não são os motivos da sua falta de realização. Tudo isso é apenas o seu desculpismo.

O desculpismo é a arte de inventar histórias que escondam os verdadeiros motivos de alguma coisa. Nós repetimos essas histórias pra nós mesmos e acreditamos nelas pra não encaramos a verdade, e não termos que confrontar nossas dores e limites.

O desculpismo é o grande fator da falta de realização da maioria das pessoas.

A verdade disso tudo é que não são as pessoas ou as coisas que você usa em suas desculpas que te seguraram, foi você que se agarrou nelas.

Quem disse essa frase uma vez, e que acabou me marcando muito foi uma entidade chamada Nanah, através do médium Luiz Gasparetto: “Ninguém te segura, é você que se segura nos outros.”

E não interessa se você acredita em espíritos ou não, o que interessa de verdade é se você tem coragem de encarar essa verdade.

Você tem um sonho, uma vontade, um anseio e ainda não foi atrás?

No quê, ou em quem você se segura?

Qual é a sua desculpa?

Claro que em nosso mundo existem grandes dificuldades. Mas uma dificuldade nada mais é do que uma situação mais complexa. Tudo é situação, e tudo exige de nós uma resposta ou uma ideia que traga soluções e saídas. Quando elas são fáceis e rotineiras você as chama de coisas normais. Porém, se a situação exige de você uma resposta mais complexa, você logo chama de problema. Fazer um almoço pode ser um problema se você não sabe cozinhar, agora se você sabe será apenas mais uma situação do dia a dia. Ou seja, tudo depende de você. É você quem diz se algo é um problema ou não.

Contudo, por que temos medo das situações mais complexas? Elas vão exigir mais de nós? Sim, vão! E qual o problema?

A verdade é que ficamos com medo de ter que se esforçar mais, por mais força, ter que se levar pra frente, abrir mão de algumas coisas em pró de outras. Temos medo de ter que ceder algo, de fugir daquele mundinho que criamos, daquela nossa zona de conforto. Nós ficamos no delírio de querer ter segurança.

Só que a vida não te dá segurança de nada. Uma das poucas coisas que é certa na vida é que em toda atitude que você toma você vai ter que pagar. Se você faz alguma coisa você sofre as consequências de ter feito, boas ou ruins, dependendo de como você as vê. Se você não faz também paga. Na dor ou na alegria de não ter feito. A verdade é que tudo tem consequência. Tudo tem preço.

Agora quando você não quer bancar as consequências, não tem coragem pra assumi-las, você se segura nos outros. Você não tem coragem de mudar de cidade, pois teme fracassar, ficar sem emprego, ter que retornar e aguentar a língua dos outros. Daí você usa a família como desculpas, ou a sua situação financeira. Você se segura neles pra não ter que encarar a falta de coragem que você tem.

Eu respeito os seus motivos e tudo que você viveu, ou não viveu. Só que se você quer mudar e se realizar precisa encarar a verdade das coisas. Suas razões são válidas, não estou julgando você. O que eu quero é te ajudar a entender os motivos que te levaram a estar na situação que você está. E tudo gira em torno dos seus medos.

Porque quando você quer alguma coisa de verdade e assume as consequências disso nada te segura. Você vai lá e não importa família, não importa o que os outros vão dizer, não importa se vai dar certo ou errado. Você vai lá e faz. Sem desculpas. Tenho certeza que você já fez isso muitas vezes em sua vida. Talvez em coisas de menos risco, mas fez.

Porém, se você ainda sofre por sonhos não vividos é hora de parar de usar os outros como bengala, ou corrente. É hora de crescer e saber que sim, esses sonhos vão exigir muito de você, mas é você que tem que saber se isso vale a pena ou não. O que não pode é deixar de viver seus sonhos e usar os outros como desculpas. O que te segurou até hoje não foram os outros. Foram seus medos. Pra tudo se dá um jeito, quando se quer, quando se tem a coragem de encarar as coisas de frente. Faça uma análise interior de seus anseios e de seus medos. Trabalhe em suas crenças.

ninguem-te-segura2

É você que se segura nessas crenças negativas. Se solte! Pois só tem a verdadeira liberdade de viver aquele que se apoia e que não tem medo de pagar o preço de ser feliz.

Se for pra se segurar em alguma coisa, que seja no seu auto apoio e na sua segurança interior!

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.