AmorO SegredoReflexão

No amor há sempre alguma loucura

no amor há sempre alguma

Dizem que uma vez se reuniram em um canto da Terra todos os sentimentos e qualidades dos homens …



Quando o Tédio bocejou pela terceira vez, a Loucura lhe fez uma proposta: Vamos brincar de esconde-esconde? A Intriga levantou a sobrancelha e a Curiosidade, incapaz de se conter, perguntou: Esconde-esconde? E como é isso?

“É um jogo em que eu cubro meu rosto e começo a contar de 1 até 100 enquanto vocês se escondem. Quando eu tiver terminado a contagem, o primeiro que eu encontrar ficará no meu lugar para continuar o jogo”, explicou a Loucura.

A Excitação se animou, acompanhada pela Euforia. A Alegria ficou tão animada que acabou por convencer a Dúvida, e até mesmo a Apatia, que nunca se interessa por nada. Mas nem todos quiseram participar, a Verdade preferiu não se esconder. Por que se esconderia?, no fim sempre a encontram.


O Orgulho disse que era um jogo muito bobo, mas o que o incomodava era que a ideia não partiu dele. E, como sempre, a Covardia preferiu não se arriscar …

“Um, dois, três …” começou a contar a Loucura. A primeira a se esconder foi a Preguiça, que como sempre caiu após a primeira pedra do caminho. A subiu ao céu e a Inveja se escondeu atrás da sombra do Triunfo, que com seu próprio esforço tinha conseguido subir até o topo da árvore mais alta.

“A Generosidade quase não conseguiu se esconder, pois cada esconderijo que encontrava pensava que era maravilhoso para um de seus amigos, que um lago cristalino era ideal para a Beleza. Que o galho de uma árvore era perfeito para a Timidez. Que o voo de uma borboleta era melhor para a Sensualidade. Que uma rajada de vento era magnífica para a Liberdade. Por isso, acabou se escondendo em um raio de sol.”

O Egoísmo, no entanto, encontrou um lugar muito bom desde o início, arejado e confortável, mas apenas para ele. A Mentira se escondeu no fundo dos oceanos (mentira, na verdade, se escondeu atrás do arco íris). A Paixão e o Desejo dentro de um vulcão. Quanto ao Esquecimento … Eu esqueci onde ele se escondeu … mas isso não é importante.


Enquanto a loucura estava quase terminando de contar, o Amor ainda não tinha encontrado um lugar para se esconder, já que todos estavam ocupados. Até que viu uma roseira e decidiu esconder-se entre as flores.

“… noventa e nove, CEM!” terminou a Loucura e começou a procurar. A primeira que encontrou foi a Preguiça apenas a três passos de uma pedra. Depois ouviu a discutindo com Deus sobre Teologia, e sentiu a Paixão e o Desejo na vibração dos vulcões.

Em um descuido encontrou a Inveja e, é claro, assim deduziu onde estava o Triunfo. O Egoísmo nem sequer teve que ser procurado, pois fugiu de seu esconderijo quando viu se tratar de um ninho de vespas.

De tanto caminhar, a Loucura sentiu sede e se aproximou do lago, descobrindo a Beleza. Com a Dúvida foi ainda mais fácil, pois estava sentada em uma cerca, sem decidir de que lado se esconder.


Assim foi encontrando a todos … o Talento entre a grama fresca, a Angústia em uma caverna escura, a Mentira atrás do arco-íris (mentira, ela estava no fundo do oceano) e também o Esquecimento, que havia se esquecido de que estava brincando de esconde-esconde.

No entanto, o Amor não aparecia em lugar nenhum. A Loucura olhou atrás de cada árvore, em todos os cantos do mundo, no topo das montanhas … E quando estava quase se dando por vencida, ouviu um barulho vindo de uma roseira.

Ela pegou um garfo e começou a mover os ramos, quando de repente um grito de dor foi ouvido. Espinhos tinham ferido os olhos do Amor e a Loucura não sabia o que fazer para se desculpar: chorou, implorou, pediu desculpas e até prometeu ser sua guia.

Desde então, desde que o esconde-esconde foi jogado pela primeira vez no mundo …


“O Amor é cego e a Loucura sempre o acompanha.”

Dizem que o coração é um hospício e há sempre espaço para mais uma loucura. Pois por causa do amor somos capazes de fazer quase qualquer coisa, nos arriscamos ante um abismo e até mesmo nossa própria liberdade.

E o Amor também é Loucura por um erro de cálculo, porque não se pode escolher e sempre ganha qualquer jogo, ainda que as vezes chegue cheio de espinhos. Porque, como disse Calderón de la Barca, quando o amor não é loucura, não é amor.

 


___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa


Não há mãe perfeita, mas há um milhão de maneiras de ser uma boa mãe

Artigo Anterior

O que é uma mulher difícil?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.