3min. de leitura

Nós ficamos subconscientemente presos à idade na qual recebemos menor amor:

Nosso crescimento real só possível quando aceitamos quem somos com todas as nossas peculiaridades e nos amamos, verdadeiramente.


Muitas pessoas, já na idade adulta,  não têm certeza de qual sua idade interior.

Conforme crescemos com os anos, criamos novas necessidades, e esperamos ser tratados e amados por nossos pais de maneiras que supram nossas novas necessidades, a cada nova fase.

Durante a infância, o objetivo é os pais construírem confiança e segurança em seus filhos. Quando a criança cresce sem esses sentimentos, fica perdida, insegura e com medo do mundo.

Com isso, tem dificuldades em criar relacionamentos com outras pessoas, pois não possui a habilidade de confiar naqueles ao seu redor.


Durante os 2 e 3 anos, a criança, geralmente, começa a aprender a ser mais independente e desenvolve uma sensação de controle sobre si mesma, autoimposta. Quando os pais não permitem que a criança viva essa fase, fazendo certas atividades sozinhas, ela se torna obcecada e atormentada pelo sentimento de vergonha e medo.

À medida que a criança entra na fase dos 3 aos 6 anos, é normal sentir a necessidade de tomar iniciativas e iniciar atividades sozinhas.

Durante essa fase, precisa contar com a aprovação e motivação dos pais, caso contrário, pode tornar-se desfocada, perdida e sofrer de falta de vontade e determinação.

Quando a criança começa a ir à escola, dá início ao entendimento de valores e da ética. Se os pais não acreditarem na capacidade de seu filho de desenvolver as próprias habilidades, a criança desenvolverá sentimentos de inferioridade e nunca se achará suficientemente boa para nada.


Essas crianças se tornam adultos disfuncionais e que trabalham muito duro para ter seu próprio espaço no mundo.

Para nos entender e nos tornar adultos funcionais, precisamos descobrir que tipo de criança vive dentro de nós e tentar compreendê-la verdadeiramente, sem desmerecer ou ignorar seus sentimentos e peculiaridades.

Para isso, fale com sua criança interna e descubra de qual tipo de ajuda ela precisa e o que pode esclarecer para ela.

Conecte-se com essa outra versão de si mesmo, tenha a meta de melhorar sua experiência. Seja amoroso enquanto estabelece contato, seja proativo e faça perguntas.

As respostas que você receber podem ajudá-lo a fazer as pazes com todas as limitações em sua vida, que foram causadas por coisas que não conseguiu superar.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.