AmorRelacionamentosVida

Nós nunca realmente deixamos ir

nós nunca realmente

Nós somos uma composição de nossas experiências. Uma colagem brilhantemente falha das pessoas que amamos e perdemos, e as lições que aprendemos – ou ignoramos – ao longo do caminho. Inevitavelmente vamos todos deixar uma ou mais pessoas em nossos corações e almas, não seremos capazes de tirá-las de nós. Elas vão permanecer como um eco do que foram para nós e quem fomos para elas. Essas pessoas muitas vezes nos ensinar sobre essa linha fina que existe entre amor e ódio – e como, às vezes, você pode sentir ambos pela mesma pessoa ao mesmo tempo.



Elas nos ensinam que nós nunca realmente esquecemos ou deixamos ir alguém que nos tocou emocionalmente – nós apenas seguimos em frente, levando-as conosco. Aprendemos que o amor nem sempre passa, e que as pessoas que eram tão próximas, eventualmente, podem se distanciar tanto que se tornam praticamente desconhecidas. Mas as memórias … elas permanecem. Algumas pessoas chamam isso de ‘bagagem’, mas eu chamo de a vida. Eu chamo de experiência. Eu chamo de ter coragem para deixar alguém perto o suficiente a ponto de poder causar danos.

nos-nunca-realmente

Quando um relacionamento termina, todos vão dizer-lhe que o tempo apaga as mágoas e conserta tudo. Até que um dia você não vai acordar com a pessoa em sua mente, ou encontrar-se perguntando se ela ainda pensa em você também. A vida é feita de pequenos momentos, simples. O tempo não vai apagar certas pessoas de sua vida. Elas são uma parte de você, e sempre serão.


Eu acho que muitas pessoas tentam enterrar ou ignorar essas emoções, convencer-se de que é a única maneira de seguir em frente. Eu acredito que a verdade está no conhecimento de que vamos sempre amar aquelas pessoas que conseguiram encontrar seu caminho em nossos corações, de uma forma ou de outra. As pessoas têm uma enorme capacidade para o amor em todas as suas muitas formas, e só porque uma parte de você sempre vai amar alguém que está desaparecido, não significa que também não pode amar aquele que está presente. Não há vergonha em amar a memória de alguém em nós. Estas são as pessoas que nos moldaram, que nos ajudaram a crescer no. Ao aceitá-las, e o que elas foram para nós, estamos essencialmente aceitando a nós mesmos. Todos os relacionamentos têm bem e mal, assim como nós mesmos temos a luz e a escuridão.

É importante entendermos porque as coisas não funcionaram no passado, a fim de fazê-las funcionar no presente e futuro. As pessoas, especialmente aquelas que nos amam, nos fornecem uma lente exterior que nos dá oportunidade de vermos a vida de um ângulo diferente. São as pessoas que deixamos perto de nossos corações que nos mostram quem realmente somos, mesmo que, em última análise, não seja quem queremos ser.

Então não deixe ir, agarre o que o amor lhe ensinou. Cresça e avance com a força de caráter para amar novamente. Tenha a sabedoria do que você precisa e quer, e pise levemente sobre os corações e emoções dos outros. Você não tem que fingir que amores passados não importam, é claro que eles importam, você só tem que desenvolver o autoconhecimento para diferenciar entre “desligamento” e boas lembranças.

Você não tem que deixar ir, apenas tem que seguir em frente. Mova-se em direção ao amor, risos e luz.


___

Traduzido pela equipe de O SegredoFonte: Thought Catalog

Leia isto se você sentir que é um fracasso no amor (você precisa saber que não está sozinho)

Artigo Anterior

O exercício cerebral de 6 passos que steve jobs usava para estimular sua criatividade!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.