4min. de leitura

Nossa intuição é nossa alma se comunicando conosco…

A intuição é a capacidade inata que nos faz seguir um caminho ao invés de outro e que nos ajuda a avaliar rapidamente se uma pessoa é verdadeira e se suas intenções são boas ou não.

Nós seguimos a nossa intuição em muitos momentos da vida, mesmo quando não nos damos conta. Quando estamos em uma situação de incerteza e parece que ninguém ao nosso redor tem a palavra certa para nos confortar, temos que encontrar sozinhos um melhor caminho para seguir. Por esse motivo, é muito importante desenvolvermos uma inteligência intuitiva, que nos permita nos conectarmos melhor com nosso mundo interior para levarmos vidas mais fiéis aos nossos propósitos.


Não é totalmente garantido que ao seguirmos nossa intuição, todas as nossas decisões serão bem-sucedidas. Porém, trilhando esse caminho, estamos escolhendo ser fiéis aos nossos valores e emoções, que nos permitem agir através de um equilíbrio interno.

Malcolm Galdwell, sociólogo e ensaísta é um especialistas neste campo, e tem estudos que mostram que médicos, publicitários, psicólogos, donas de casa e mecânicos conseguem tomar decisões sábias em apenas alguns segundos. Essas pessoas não têm nenhum poder que desconhecemos. Apenas estão mais conectadas a sua própria intuição.

Características essenciais da intuição

Tudo aquilo que nós aprendemos, sentimos, pensamos e experimentamos em nossas vidas ajuda-nos a estabelecer uma sabedoria particular que molda quem realmente somos. Esse processo é conhecido como “inconsciente adaptativo”, e a intuição faz parte disso.


As pessoas intuitivas se destacam das demais porque sabem como usar seu consciente adaptativo como um canal. Dessa maneira, conseguem distinguir o que é bom e positivo do que é negativo em uma situação específica, para seguir um caminho mais frutífero em suas vidas.


Desenvolvendo a inteligência intuitiva

Howard Gardner nos ensinou que existe mais de um tipo de intuição, e que todas elas têm a sua função própria. A inteligência intuitiva é aquela que incentiva o desenvolvimento da consciência e das emoções e o seu uso na tomada de decisões. Isso permite que tomemos decisões mais rapidamente, ou que tenhamos sabedorias mais íntimas e internas, para podermos comparar com pontos de vista mais racionais.



Dicas para o desenvolvimento da inteligência intuitiva

A intuição é mais sentida do que pensada. Exatamente por esse motivo é importante aprendermos a ouvir nossas emoções e compreendermos tudo o que acontece dentro de nós mesmos, para que possamos encontrar calma e equilíbrio.

  • Daniel Goleman nos aconselha a adotarmos uma prática de pensamento zen, que, na prática, consiste em alcançarmos um estado mental de profunda calma e sermos mais conectados ao nosso interior e, com o tempo, aos ambientes ao nosso redor.
  • Muitas vezes as mensagens que recebemos de nossa intuição são complexas, pois chegam até nós na forma de sentimentos e palavras. Porém, cabe a nós interpretá-las. Quanto mais nossas mentes são livres, mais facilmente nossa intuição se manifesta.

Podemos desenvolver nossa inteligência intuitiva diariamente, mas para isso precisamos dar mais liberdade aos nossos pensamentos e nos relacionar mais profundamente com nossas emoções.

______________

Direitos autorais da imagem de capa: bialasiewicz / 123RF Banco de Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.