Notícias

Novas imagens mostram homem caminhando ao lado de menina encontrada morta em Belo Horizonte

Foto: Reprodução
menina 1

Imagens registradas por câmeras de segurança no último domingo (31), quando Bárbara Victória foi vista pela última vez, após ir à padaria, mostram a menina sendo acompanhada por um homem.

Na gravação, é possível ver Bárbara atravessando uma rua ao lado do adulto, vestido de preto.

Ele faz um sinal, e a criança para na calçada, na esquina, e espera enquanto ele segue adiante.

Depois de pouco mais de um minuto, quando o relógio marca 17h53, o homem retorna e eles voltam a atravessar a mesma rua juntos, no sentido oposto.

Screenshot 20 1

Direitos Autorais: Reprodução/Arquivo Pessoal

Esse suspeito que aparece nas imagens chegou a ser conduzido para a delegacia na última segunda-feira (1º), após a Polícia Militar encontrar na casa dele um saco de pão semelhante ao que Bárbara tinha comprado.

Outro circuito de imagens mostra a menina correndo na frente de um comércio. A mesma câmera registra o momento em que dois homens correm na mesma direção em que Bárbara estava.

Suspeito foi liberado

Primeiro, o homem negou ser quem aparecia nas imagens e disse que não conhecia a menina. Depois, confirmou que era ele no vídeo e falou que conhecia Bárbara, mas que não tinha feito nada com ela. O suspeito foi liberado e não ficou preso.

No dia seguinte, nesta terça-feira (2), o corpo de Bárbara Victória foi encontrado em um matagal, que fica a cerca de 500 metros da casa dela, com uma corda próximo ao pescoço, de barriga para baixo e sem o short.

Pai pede justiça

Nesta quarta-feira (3), durante o velório da menina, o pai dela, Rogério Flores, pediu justiça e a prisão do culpado. Ele criticou a soltura do homem que aparece nas imagens.

“Não deveria ter soltado ele. Se achou a sacola de pão na casa dele, os indícios, apontando na filmagem e tudo… Não era pra ter feito isso, era pra ter esperado para ver o que ia achar”, falou.

Sobre o assunto, a Polícia Civil disse apenas que “o inquérito policial tramita, sob sigilo, para apurar a autoria, materialidade, circunstâncias e motivação do crime” e que “diversas diligências investigativas estão sendo realizadas”.


Se você presenciar um episódio de violência contra crianças ou adolescentes, denuncie o quanto antes através do número 100, que está disponível todos os dias, em qualquer horário, seja através de ligação ou dos aplicativos WhatsApp e Telegram.