ColunistasComportamento

“nunca carregue no colo quem já aprendeu a caminhar”

nunca carregue no colo

Há uma frase que me marcou muito há anos: Nunca carregue no colo quem já aprendeu a caminhar. – Pe. Léo – Comunidade Bethânia



O tempo passa e cada vez que penso nela, amadureço um pouco mais seu sentido.  De colo, é claro que todos precisamos, afinal cuidar e ser cuidado é a máxima do amor. Mas amar é uma palavra de sentido tão amplo que poderíamos passar dias e dias refletindo sobre.

Acredito que amar seja isso: dar colo, dar carinho, saber caminhar ao lado, ajudar a levantar dos tombos, mas deixar que o outro siga seus próprios passos, deixar que decida o que é melhor para si, ainda que a decisão seja contrária àquilo que você acha ideal.

Sim, as pessoas que amamos por vezes seguem caminhos opostos aos que idealizamos, opostos às nossas vontades, mas ainda assim as amamos e confiamos que elas sabem que as decisões que estão tomando são as melhores para elas.


Não dar colo a quem já sabe caminhar é justamente confiar na capacidade que o outro tem para fazer as coisas por si mesmo.

Se os pais não deixam seus filhos caminhar, estes serão sempre dependentes.

Às vezes, a melhor ajuda é justamente não ajudar.

Como assim?


É isso mesmo, ajudamos uma pessoa a descobrir seu verdadeiro potencial, muitas vezes quando “deixamos que ela se vire” do jeito dela. Se é certo ou não, não importa, importa que ela mesma descubra algo novo e perceba-se capaz.

Se ela errar, atire a primeira pedra quem nunca errou.

Aliás, nossos erros, em geral, são nossos grandes professores!

Que tal largar o peso e deixar o outro caminhar um pouco com suas próprias pernas?


Afinal de contas, já dizia a frase: “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez.”


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: innervisionpro / 123RF Imagens


7 coisas que afetam a sua frequência vibracional

Artigo Anterior

Relaxe, deixe-se em harmonia com o universo…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.