publicidade

Nunca saia de uma situação do jeito que entrou, se você pode sair melhor dela!

Os requisitos para sentir a chuva, em meio à tempestade…



Quando Adão e Eva comeram do fruto proibido, o que quer que isto signifique, o bem e o mal se tornaram uma coisa só. A mesma pessoa que é capaz de torturar uma criança indefesa é a pessoa que é capaz de plantar um milhão de árvores para salvar uma espécie da extinção. Esta fusão trouxe um caos – terrível e maravilhoso – às nossas vidas! A mesma pessoa que acorda disposta a seguir em frente e curtir a solteirice, doze horas depois, está chorando e querendo a pessoa de volta. A mesma pessoa que decide adotar uma vida fitness é a pessoa que aperta o botão do piiiiii e aceita sua “gordice”, afundando-se num delicioso prato de fritas, bacon e queijo. E a Vida também é assim: uma hora está tudo o.k., dali um pouco, bum!, está tudo de ponta cabeça. Como se vivêssemos num daqueles globos de neve, e alguém chacoalhou tudo!

Saber lidar com estas situações é a chave para uma vida com 100% de aproveitamento.

Esta bipolaridade é caótica, mas é a partir do caos que a vida acontece. É quando as moléculas estão “loucas” que a energia acontece, é quando as pedras se chocam que a faísca acontece… É a partir do caos que a ordem surge. ORDO AB CHAO. Um conceito antigo, verdadeiro e muito aceito. Hoje, nós vamos tentar entender melhor o caos, para utilizá-lo a nosso favor, para o nosso crescimento e amadurecimento, para que nós possamos sentir a chuva, e não apenas nos molhar; para que possamos sentir as mudanças, e não apenas sofrer (com) as mudanças.


O primeiro requisito para sentir a chuva é: parar. Minimamente, focar nela, dar atenção, perceber que ela está acontecendo. Porque se você passar por um museu, sem parar, sem analisar e sem dar atenção às obras, você vai sair dele sem “sentir” nada, vai sair do museu da mesma maneira que entrou, vai perder tempo, vai ter que voltar e repetir o processo. O mesmo vale para a chuva, para as mudanças, para os problemas, para a vida.

Em meio ao caos, e, uma vez que você pode se vingar, mas prefere escolher o perdão, cara… Isto é muito, muito incrível. Você pode se queixar, mas prefere agradecer. Você pode imaginar como seria mais fácil se…, mas você prefere tirar proveito da situação. É este tipo de escolha faz você ser quem você é, e que pode mudar e transformar completamente a sua vida. É a escolha do que plantar. Por consequência, é a escolha que te fará colher e atrair, no futuro. Isto serve para ações, mas, sobretudo, serve para pensamentos e sentimentos! O que você escolhe pensar? Você prefere sentir raiva, tristeza e pesar, ou, amor, alegria e gratidão? Isto muda tudo! Talvez seja esta a resposta para o tão debatido livre-arbítrio.


Antes do famoso encontro de Pedro e a tempestade – que veremos já, já –, Jesus isolou-se numa montanha. Eis uma rápida lição: por vezes, passamos tanto tempo nos dedicando aos outros (trabalho, casa, família, etc.), que, se tiramos um tempo para nós, nos sentimos culpados e egoístas. Mas, por favor, faça isto! Cuide de você. Jesus cuidava, por que você não vai?

Eu passei os últimos 15 dias sem o famigerado WhatsApp. E fiz mais: exclui do celular o Facebook e Messenger, também. Fiquei “incomunicável” por duas semanas. Por quê? Porque quando eu ia para a cama, e tinha todos estes aplicativos, eu estava sempre olhando para fora (os outros); quando os excluí, ganhei alguns minutos para olhar para dentro. Mudar o que está dentro transforma o que está fora. Não o oposto! Pude meditar, ler, me estudar, perceber coisas em mim que estavam turvas, confusas e ocultas. Entrei num relacionamento sério comigo mesmo e dediquei tempo para me conhecer. Conhece a ti mesmo. Questões como: o que eu penso? O que eu sinto? Por que me sinto assim? Por que eu quero isto? Qual é a importância disto? O que eu posso aprender com isto?

Apenas. Faça. Isto.

Entre outras coisas, eu aprendi que diante da tempestade, nós podemos:
A- Enfrentar a onda (se molhar);
B- Mergulhar nela para fugir (ficar seco);
C- Surfar, usá-la a nosso favor (sentir).

Isto me levou a um novo patamar na Lei da Atração. 1. Diante da situação atual, seja ela agradável ou não, você sabe que pode senti-la, muito mais do que apenas “se molhar”, algo além de apenas passar por este momento. Encarar o problema é legal, mas isto pode ser muito mais do que apenas uma fase ruim; 2. mais do que nunca, agora você sabe que as suas escolhas podem transformar o seu presente (e, consequentemente, futuro).

Por que Pedro não sentiu a chuva? Ele queria andar sobre as águas, é claro que ele queria deixar Jesus orgulhoso e seguir em frente, mas ele não tinha fé, Pedro não acreditava. Independe se você acredita ou não nesta história, se é ficção ou real, ela ensina um dos maiores segredos da Lei da Atração: Querer não muda quase nada, acreditar muda tudo. Em outras palavras: não é o que você quer, é o que você acredita! Se você pegar sua lista de desejos para este ano, vai ver que você quis muitas coisas, mas apenas as que você acreditou que eram possíveis é que foram concretizadas. “Eu queria uma Ferrari, mas… Não acredito que vou ter um carro desses, no Brasil”. (Caso queira, podemos ver num próximo texto como fazer para fortalecer a fé).

O segundo requisito: por favor, abandone o “queria”. Ou você quer, ou você não quer. Ponto. Eu queria que fosse diferente. Eu queria um salário melhor. Eu queria, queria, queria…. ‘Queria’ por quê? Quer ou não quer? Eis o problema do “queria”: “o que eu quero mesmo é ­­­­______, mas como eu sei que não é possível, serve qualquer coisa”; pronto, você acabou de pôr uma arma na nuca do seu desejo e puxou o gatilho. “Eu sei que não é possível”. Sério?! Ou então: “eu gostaria de ____, mas não tenho fé para isso”. Mate o “queria”, antes que ele mate os seus sonhos.

E aqui está mais um segredo: dedique-se somente às coisas que te movem, quando querer, queira com amor e paixão. Dá mais certo! Quando você quer algo só porque é moda, “seria bom se ___, mas se não der, tudo bem”, não tem aquela força que supera qualquer coisa. Quando o que você quer é algo de quase extrema necessidade, por outro lado… Não há nada que te amedronte. E, meus amigos, sem medo, o homem vai à lua, se necessário! Quando você quer algo com paixão, você nem vê o tamanho do problema, só enxerga a grandeza do resultado da solução! Você QUER mesmo, ou, “aaah, se der…”?

O terceiro – e mais importante – requisito: acredite! Eu quero tirar uma foto com aquele cantor, mas… Mas nada! Ele está na sua cidade? Onde? No aeroporto? Vai atrás! Acredite! Ficar em casa não vai realizar seu desejo. Vai! Vai! Vaaai! Quem sabe vocês acabam se encontrando no elevador, numa fila, num cruzamento, no farol… O mundo é cheio de oportunidades, você só precisa estar lá, preparado para elas! Ouse acreditar! Você tem mais chances de vencer o Bolt se entrar na pista do que ficar de fora por “saber” que não vai ganhar. E se ele escorregar? E se ele está fora de forma? Arrisque.

O quarto requisito: não perca tempo. Enquanto você gasta seu tempo tentando lutar contra a maré, tentando mudar uma pessoa ou uma situação, pensando em quão bom seria se fosse diferente, etc., a vida está acontecendo, sua mente está se reprogramando e seu futuro está sendo construído. E aí, toda vez que você se remoer e focar no “eu não gostei do que ela falou/fez”, mais disto virá até você. Em vez de usar o tempo para construir o futuro ideal, você está reproduzindo um passado não tão bom assim. É perda de tempo! Não faça isso. Troque por “eu gosto quando ela fala/faz… E quero mais disto”, “eu sou grato por todas as vezes em que…”, “eu acredito que eu mereço que ele faça/fale mais”, “eu quero…”. Dedique seu tempo, seus pensamentos, suas lembranças, seus desejos para atrair e focar nas coisas que você quer. E sinta isto!

Outro modo de usar bem o tempo: veja como esta situação pode te fazer ser uma pessoa melhor. O que ela te ensina? Em quê ela te desafia? Ego, paciência, amor, perdão, humildade? O quê? Não corra, não reclame, não fuja, sinta! SINTA a chuva. Esta é a arte de sorrir cada vez que o mundo diz “não”.

O quarto requisito em outras palavras: aceitação. É muito mais fácil lidar com as coisas, quando você as aceita. Sabe? Querer que elas mudem, querer que elas fossem diferentes é perder tempo. O mundo não para pra te esperar melhorar. O Cazuza já dizia isto: o tempo não para! O que tiver de ser será. Aceite!

E o que é mais importante: nunca saia de uma situação do mesmo jeito que entrou, se você pode sair dela melhor.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.