ColunistasRelacionamentos

O amor é cura, é remédio, é luz na escuridão

Não vamos deixar essa modinha2 site

Não vamos deixar que essa modinha do desapego nos impeça de dar e receber amor!



Bom senso e amor-próprio sempre, mas não sejamos pessimistas ao ponto de achar que todas as pessoas são iguais.

A união fortalece, o carinho salva e a cumplicidade aquece nossos corações.

Perdemos uns aos outros todos os dias, porque as pessoas preferem não demonstrar o que sentem. Para não se decepcionar, escolhem ser frias, ao invés de amar.


Ame sempre que possível, sim, receba o amor em toda e qualquer forma que lhe for oferecido.

Cada experiência, cada pessoa que cruza nosso caminho tem algo a ensinar e a aprender também.

Enquanto houver reciprocidade, apegue-se sim, demonstre sim. Carinho gratuito e espontâneo é maravilhoso e deve ser distribuído sempre que possível. Assim como também dever ser recebido de peito aberto.

Sem muitas regras e restrições, vamos simplesmente nos permitir viver, sentir e demonstrar amor. 


A vida só faz verdadeiro sentido quando finalmente entendemos a importância do verdadeiro e sublime amor.

Esse sentimento não é uma medida tempo, de espaço geográfico ou sideral.

O amor é sentimento visceral, que antes de ser sentido pelo coração, toma conta da alma, acalma, e só pode ser sentido e vivido por quem reconhece que ele acontece sem dia e nem hora marcada.

O amor é cura, é remédio, é luz na escuridão. É complemento necessário para nosso corpo, nossa alma e nosso espírito.



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: sad444 / 123RF Imagens


Não me subestime! minha mansidão não é descuido, é confiança!

Artigo Anterior

Nesta viagem, o que temos de valor não guardamos na mala, mas no coração

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.