AmorOshoReflexão

Só o amor é real

o que e o amor

Conta a história que certa vez houve uma confraternização mundial com os líderes das mais variadas religiões do planeta. Lá, o objetivo era que eles pudessem trocar ideias sobre suas religiões e doutrinas. Em um determinado momento, um telepastor muito conhecido na mídia chegou para conversar com um monge de origem tibetana. A conversa ocorreu mais ou menos da seguinte forma: “Olá monge, permita-me que eu me apresente. Eu sou ‘Fulano de Tal’, sou pastor e líder da ‘Religião X’. sou muito conhecido no meu país, pois tenho um programa em uma grande rede de televisão e milhares de fiéis. A minha religião me deu tudo o que tenho: carro importado, fazenda, mansão e muita fama e popularidade. Sem a minha religião eu não teria nada disso. E você monge, o que você conquistou com a sua religião”? Nisso, o monge responde: “olha meu amigo, a minha religião não me deu nada; na verdade ela me tirou tudo o que eu tinha. Tirou o meu orgulho, o meu ego, a minha ganância, a minha ambição por posses, riquezas, status e visibilidade. Ela me tirou tudo isso e hoje eu estou muito mais próximo do verdadeiro Deus que, antes, eu não conseguia enxergar que estava em mim mesmo o tempo todo”.



Claro que esta é apenas uma história, mas que reflete profundamente o estado de ilusão e desamor em que vive a grande parte da humanidade. Há muito tempo que o “ser” perdeu espaço para o “ter” e, lamentavelmente, talvez o amor nunca tenha sido um sentimento predominante no planeta. A humanidade sempre foi tão cegada pelo orgulho e pela cobiça que quando surge alguém realmente devotado no amor, esse ser se destaca na história humana; foi assim com Jesus, com Buda, Sócrates, Chico Xavier, etc. Todos esses seres ensinaram diversas coisas, mas todas essas coisas giraram em torno do amor. Para mim, a grande dificuldade que o ser humano encontra para canalizar esses ensinamentos de uma forma real e objetiva para sua vida, reside nos inúmeros véus que cobrem nossa consciência. Esses véus condicionam a nossa possibilidade de expandirmos o amor em nossas vidas.

Muita coisa já aconteceu em minha vida e tudo veio me provar que a única coisa que realmente vale a pena em nossas vidas é o amor. Não me refiro ao amor entre casais, pois que na maioria das vezes os relacionamentos são pautados pelo instinto de posse e dominação, mas não no amor real. O amor real não é entre duas pessoas, não pode ser, é impossível. O amor (perdoem minha ousadia) também não poderá ser para Deus, pois a forma como concebemos Deus nos faz acreditar que ele é uma entidade separada de nós, e na verdade, a ilusão da separabilidade só persiste porque ainda estamos longe do amor real, mas quando esse estado de amor for alcançado, todas as ilusões caem, todo o nosso ego é anulado e só sobreviverá o amor. Na verdade, veremos que só o amor existe de fato e todo o resto é ilusão. Não que o sofrimento e as dores não existam, elas existem, mas são transitórias e isso as torna irreais. O amor é a única coisa que pode persistir indefinidamente.

“O amor não é um relacionamento entre duas pessoas. É um estado de espírito dentro de você mesmo” Osho.


Por Leandro José Severgnini

O natal de nossas vidas!

Artigo Anterior

Livro compila fotos de filhotes exóticos nascidos em zoológicoslivro compila fotos de filhotes exóticos nascidos em zoológicos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.