O amor é uma construção diária, ele precisa ser regado todos os dias

9min. de leitura

O amor tem de ser regado todos os dias, sem cessar, e pelos dois. Ele próprio dará sinais de alerta para o casal, com a finalidade de preservá-lo. Esses sinais exigem atitudes de mudança.



Falando-se em relacionamento… A grande verdade é que todos são complexos, principalmente a dois. O relacionamento a dois, para dar certo, necessita de um ingrediente de suma importância, sem o qual não dura. Esse ingrediente é o amor. Ele não nasce pronto nem permanece para sempre, existe a necessidade de vigilância diária e constante de cuidado para preservá-lo, a partir do qual tudo dará certo, pois o amor é a sustentação para superação dos desafios atinentes a todas as pessoas casadas. Casamento é tudo igual, todos passam por desavenças, isso faz parte da vida!

A base do amor é o respeito mútuo. A partir do momento em que o respeito acaba, começam os problemas e a tendência é só ir aumentando até o limite de uma única gota apenas ter o poder de fazer transbordar e acabar com tudo o que foi construído.

A confiança se dá pelo respeito mútuo e funciona como um vaso, que poderá trincar, quebrar e dessa forma terá como consequência o término ou a transformação, o que dependerá da história escrita por cada casal.


De um vaso trincado, vazará água e com isso a terra árida não florirá. É sinal de cautela! As flores na vida do casal são os laços de família, agregados, amigos e filhos, que se estreitam pela convivência saudável, que só tem a acrescentar. Trata-se dos almoços com a família reunida, o sair com casal de amigos ou turma de amigos, viagens em família e passeios com os filhos.

Não se pode se deslumbrar com as flores que encantam e esquecer de arrumar a trinca do vaso, que são as questões mal resolvidas do casal. Não se deve tapar o sol com a peneira a vida inteira.

Torna-se indispensável dar um basta, já no primeiro momento, no que está ruim, insuportável e incomodando por dentro, evitando-se a todo custo reiteradas repetições que induzem a relações tóxicas.


Conversar funciona bem, desde que ambos saibam ouvir e tenham disposição para mudar. Trata-se de fazer valerem os princípios básicos da educação, que vem de berço. Tudo de comum acordo e com muito respeito, cada um abrindo mão de um pouquinho para se adaptar à vida em comum, que exige renúncia, e isso é normal. Enfrentar a vida a dois não é nada fácil e o casal já deve saber desde o início que nem tudo são flores. Amar é decisão, e esta cabe aos dois.

Quando a confiança se quebra…

O vaso quebrado não serve para nada, quando a vida toma outro rumo devido ao peso dos desafios, quando os filhos crescem ou até mesmo diante do afastamento natural da família que se dá quando os principais, que são os pais ou um deles, vêm a falecer. Neste último, a família pode até ser unida e continuar unida, mas não será plena como antes, por mais que haja esforço para se manter como outrora. Algo muda e é inexplicável. Mudanças fazem parte da vida, e exigem que nos adaptemos a ela.

Nas horas difíceis da nossa trajetória é que perceberemos com quem estamos casados de verdade. Casamento não se sustenta por belas palavras da boca para fora, despidas de sentimentos, implantadas pelo costume ou pelo hábito.

Casamento não se resume a ajudar nos afazeres domésticos ou indo ao supermercado fazer as compras de rotina. Casamento não se restringe à badalação de uma vida social invejável nem a altos cargos, viagens exuberantes, roupas de grife, corpos sarados, beleza…, pois a bela embalagem, sem o conteúdo, é insignificante.

Nada resolverá morarem na mesma casa, se já se tornaram dois estranhos, os quais optam por permanecer sob o mesmo teto pelo comodismo. O que faz e fará a diferença na vida de um casal é a amizade, o preocupar-se, a atenção, a cumplicidade, o carinho, o afeto. E, para isso, mister se fazem as boas escolhas apoiadas na afinidade, que trazem paz, aconchego e tranquilidade. Ou seja, o mais importante será o que a alma sente como verdadeiro, real e não o que resta por conveniência ou interesse.

Quando o que está do lado de fora acabar por circunstâncias alheias à vontade, deve-se imperar a amizade e o companheirismo para que o casal tenha condições de ir recolhendo os cacos do vaso quebrado e ir colando um a um com o amor construído por ambos. E, dessa forma, serão capazes de reconstruir a relação, transformando o que sobrou do vaso numa linda obra de arte. Caso contrário, o vaso quebrado não terá serventia alguma e será descartado, sem dó nem piedade, devido à ausência do amor cultivado.

Vida a dois tem de ser cheia de paz, não podendo ser conturbada nem insana. Vida a dois dependerá da disposição de andarem lado a lado e na mesma direção.

O amor tem de ser regado todos os dias, sem cessar, e pelos dois. Ele próprio dará sinais de alerta para o casal, com a finalidade de preservá-lo. Esses sinais exigem atitudes de mudança.

Nada melhor do que viver um grande e verdadeiro amor. Amor é tudo de bom! Ele supre, sacia e, acima de tudo, persiste quando há interesse dos dois em manter sua chama acesa.

Amor é sabedoria. Amor é decisão e disposição para viver a dois. Amor não retroage, não dando para voltar atrás para restabelecer os vínculos que ficaram marcados na alma com o desagradável que impregna, cansa, desgasta, causando mal-estar e repulsa só de pensar em reviver, indo contra o amor-próprio.

Tudo que é traumático causa feridas de profunda dor e, muitas das vezes, quem as causa é incapaz de perceber, a não ser quando se perde. A consciência da perda não será pelo fato de o outro ser importante, mas sim pelo incômodo da perda em seu sentido mais estrito, o de não saber perder.

Quem experimenta o alívio do sossego se sente como um pássaro que se livra da gaiola, onde viveu por anos. Ele se acostumou tanto com a prisão que, quando a gaiola é aberta, se sente perdido, sem ter para onde ir. Mas, quando sai e vai embora, experimenta a liberdade com tudo de bom que a natureza lhe apresenta, e não pensa em voltar atrás, e nem volta. Um caminho sem volta.

Cultive sempre o amor!

Independentemente do resultado, sempre haverá tempo para recuperar o brilho perdido que vem de dentro para fora através dos recomeços do resgate do amor que permaneceu pela construção diária do casal ou mesmo de um novo romance, mas desta vez com nova história de amor, cheia do essencial que faz valer a pena qualquer relacionamento, ou até mesmo sozinho, feliz e de bem com a vida.

Nada melhor que um dia após o outro. Tudo se ajeita e tudo caminha para um final feliz.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Diego Rezende/Pexels.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.