ColunistasAmorRelacionamentos

O amor não foi feito para durar e sim para ser vivido…

viveroamor




É muito difícil aceitar que o amor não é infinito como nos filmes românticos e que ele se dissipa, se esvai, se acaba por muitos motivos que não dependem de você nem do destino ou de uma força maior, são coisas incontroláveis que acabam acontecendo quando duas pessoas são incompatíveis e que por mais que tentemos de forma completamente equivocada nos convencer do contrário, nós só acreditamos naquilo que queremos acreditar.

Infelizmente muita gente não entende que o amor não é construído apenas nos momentos bons, mas é principalmente nos momentos ruins é que percebemos a sua real força.

As pessoas se conhecem se apaixonam perdidamente uma pela outra, isso não quer dizer que estejam destinadas a ficarem juntas para sempre, isso acontece o tempo todo, mas nem todo mundo está preparado ou é maduro o bastante para viver os altos e baixos que vem junto com o amor e com o relacionamento, são aquelas letrinhas miúdas do contrato que a gente tem preguiça de ler e passa logo pra parte boa.


LOVE

O amor não foi feito para durar e sim para ser vivido, mas estamos tão ocupados desejando que aquele friozinho na barriga, aquela coisa gostosa do começo nunca acabe que deixamos de aproveitar as melhores coisas de um relacionamento e só nos damos conta quando é tarde demais e não há mais nada que o faça voltar a ser como era antes.

A verdade é que quando acaba aquela fase de paixonite não resta mais nada além de brigas, desentendimentos, ataques mútuos e mágoas. Desse jeito o que era tão lindo no começo acaba virando uma pedra no sapato do relacionamento à medida que os dois se machucam cada vez mais e seguem por um caminho sem volta onde o fim acaba sendo inevitável.

O fim dói, machuca, afinal não é fácil desatar os nós que a vida laçou pra gente, mas não há o que fazer, ele chega sem dó e nem piedade.


Chega uma hora que é preciso desatar esses nós. Se desprender de quem talvez nunca tenha percebido o verdadeiro valor do estar junto, que não soube reconhecer o que foi amor e o que não foi preferindo rotular o sentimento como algo provocado por uma cegueira momentânea.

Chega um momento em que é preciso deixar a dor ir embora ou então trancá-la bem fundo a sete chaves em um lugar onde não possa ser encontrada.

Deixar ir, Deixar seguir é o primeiro passo para se libertar do passado, um passado que não faz mais sentido, que não te faz mais sentir nada além do que uma dorzinha chata daquelas que ficam latejando quando você arranca uma farpa do dedo e que você sabe que um dia vai passar, mas que pra isso é preciso arranca-la de uma vez só e de uma vez por todas.

Talvez você precise usar um curativo por algum tempo até que essa ferida cicatrize por completo ou quem sabe precise trancar o seu coração por um tempo, faça isso. É o melhor para um coração machucado.


Talvez alguém muito especial mereça que você o abra de novo, talvez não. De qualquer forma, proteja o quanto puder, por mais que ele esteja quebrado em vários pedaços, ainda é a joia mais preciosa que você possui  então cuide bem, ninguém pode fazer isso melhor do que você mesmo.

viveramor2


A gente nunca sabe quanto tempo o amor vai durar, então é melhor vivê-lo intensamente pra não se arrepender mais tarde quando o prazo de validade terminar.



8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu próximo

Artigo Anterior

Era você e eu sempre soube…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.