O AMOR NÃO VAI CONSERTAR A SUA VIDA, ENTÃO PARE DE ESPERAR QUE ISSO ACONTEÇA!

Eu entendo porque todo mundo quer amor. Porque todos nós gastamos tanto tempo, energia, esforço e dinheiro em namoro e em atrair um companheiro. Porque todos nós sonhamos com “felizes para sempre”. Porque nos animamos com o noivado de um amigo, e choramos em quase todos os casamentos.

Porque nós fofocamos sobre separações e estigmatizamos o divórcio, como se a separação fosse a coisa mais trágica que poderia acontecer a duas pessoas. Porque evitamos as realidades de relacionamento e nos escondemos atrás de proclamações sobre como estamos orgulhosos de nossos parceiros.

O amor é uma droga maravilhosa. Pode ser verdadeiramente surpreendente encontrá-lo, e ceder a ele – sentir seus poderes enigmáticos e deleitar-se com o sentimento. É. Sentir que você finalmente destrancou o segredo da felicidade. Que você descobriu propósito em um parceiro de vida potencial.

Todos queremos um parceiro. Alguém em quem podemos encontrar apoio. Alguém com quem podemos contar. Alguém para desabafar. Alguém com quem celebrar conquistas, grandes e pequenas.

Mas o amor não vai consertar a sua vida.

Ele não pode. Pode tornar as coisas melhores, especialmente no começo, quando você encontrar pela primeira vez essa pessoa com quem tem certeza que pode ficar para sempre. O amor, no começo, tem uma maneira de fazer o mundo inteiro parecer muito mais brilhante.

Mas isso não dura para sempre, nós sabemos disso. A luxúria eventualmente se dissipa. Quando isso acontece, é substituída por conforto, experiências compartilhadas e mais lembranças preciosas.

O amor duradouro é certamente possível, mas não se você espera que o amor faça todo o trabalho por você. E não se você se recusar a entender os limites do amor.

O amor não transforma toda a sua realidade. Ele não faz de você uma pessoa diferente, não resolve todos os seus problemas ou apaga seus erros do passado. O amor nem sempre é bonito. Pode ser francamente feio. Não é um Band-Aid para o desespero emocional. Na verdade, ele causa estragos na psique das pessoas em muitos casos. Não é uma razão para viver. Na verdade, pode levar as pessoas a matar. Crimes de paixão são uma coisa real. O amor gera bondade, paixão e beleza. Mas também gera maldade, escuridão e até ódio.

Queremos que o amor seja maior do que é. Queremos que seja essa força transcendente que nos une como seres humanos, mesmo que nos separe. Queremos que faça a vida valer a pena. Queremos que cure nossa dor. Queremos que encha a nossa existência de significado. Mas a verdade é que você tem que fazer tudo isso sozinho.

Todos nós queremos amor, e todos nós o merecemos. Mas você não deve esperar que seu mundo inteiro mude magicamente assim que o encontrar. Sim, certos aspectos da vida são imediatamente transformados para melhor, uma vez que você encontra um parceiro. Mas o amor não é sempre a resposta. Muitas vezes, a resposta é simplesmente trabalho duro. Ou introspecção e crescimento pessoal. Às vezes, a resposta é adeus. Às vezes, simplesmente dizer não.

A vida que você leva é determinada pela soma das escolhas que você faz. Algumas dessas escolhas se relacionam com as pessoas que você decide amar. Mas tantas outras não têm nada a ver com amor.

Não viva para o amor. Se você espera que ele o complete, ou pressiona as pessoas que ama para fazerem você se sentir completo, vai acabar gravemente decepcionado, e, provavelmente, sozinho. O amor é maravilhoso, mas não é tudo. As maiores histórias de amor da ficção são literalmente inacreditáveis.

O amor não é tudo o que você precisa. Você tem outras necessidades, e só você sabe quais são. Então, olhe dentro de si mesmo e descubra o que quer da vida. Em seguida, comprometa tempo, energia, esforço e recursos financeiros para fazer essas outras coisas acontecerem também.

Por todos os meios, encontre alguém para amar. Apenas não se esqueça de encontrar-se em algum ponto também.

___

Traduzido pela equipe de O SegredoFonte: Thought Catalog



Deixe seu comentário