ColunistasAmorReflexão

O amor reside nos pequenos gestos, gestos que atestam a beleza da alma…

O AMOR RESIDE NOS PEQUENOS GESTOS FOTO DE CAPA E FOTO 02

VIDAS VAZIAS



Todas as histórias têm princípio, meio e fim, todavia, raramente têm final feliz. Todas as páginas revelam escritos desordenados e infundados. Viver chega a ser pecaminoso. Embora a verdade de cada um seja intransmissível, num parâmetro estamos de acordo: precisamos sentir amor.

O amor que tudo cura e tudo suporta é a base da existência humana. Devemos ter coragem para amar sem preconceito. O amor é uma aventura, estrada de inúmeros sofrimentos para os quais não existe antídoto capaz de minimizar tamanha dor. O Homem desconhece real significado do verbo amar.

Sem amor a nossa existência definha, torna-se baça. Amar será constante revelação para quem ousar trilhar o próprio caminho. O conhecimento – chave para a libertação – eleva a consciência, rasgando-nos o véu da ignorância. Para vivermos condignamente, devemos deslindar quem somos e para onde vamos, amando-nos cada vez mais, para melhor amarmos os outros, sem interferência do ego que amordaça e oprime a alma, na austera tentativa de condicionar uma liberdade que nos pertence.


O AMOR RESIDE NOS PEQUENOS EGSTOS - FOTO 01

Sem liberdade não temos identidade, somos uma sombra. O ser humano priva-se de amar, e tem-no feito, particularmente, nas últimas décadas. O medo congela feições, paralisando a motricidade do ser humano. As vicissitudes que analiso elucidam a aversão que o Homem nutre pelo sofrimento. Erro crasso transformar a dor em inimiga. A fatalidade do destino obriga-nos a experienciar angústias para que possamos saldar dívidas contraídas no passado. Olho em redor e vejo gente incompreendida, amedrontada, fustigada.

Todos precisamos sentir amor. Sentir o pulsar da vida. Brincar. Amar. A dor nunca surge em vão; a dor ajuda-nos a lembrar genuína felicidade. Um dia, apesar das lágrimas derramadas, acordaremos com novo fôlego. Nesga de lucidez transmitir-nos-á a magia que envolve e aquece, toda a esperança, o sopro da vida: ser alma em manifesto. Sempre que carregamos densidade, devemos questionar a sua origem.

Recuso-me a dar aos outros mais fealdade, tão-pouco compete-me condenar atitudes. Desejo luz a todos aqueles que, de uma forma ou outra, fazem parte da minha vida, embora por vezes perda necessária acuidade espiritual e me afaste do meu caminho.


O AMOR RESIDE NOS PEQUENOS GESTOS - FOTO DE CAPA E FOTO 02

Peço perdão a quem já magoei e agradeço a quem tanto me magoa: alavancas que ajudam a superar entraves. «Errar é humano, perdoar é divino.» As pessoas que se cruzam connosco e nos colocam à prova são instrumentos que Deus utiliza para não esquecermos a nossa missão de vida. Só a tristeza da alma purifica. Quero ver o mundo que me rodeia, deambular por estradas que alumiam. O amor reside em pequenos gestos, gestos que atestam a beleza da alma. Quero. Contemplar todas as etapas que se adivinham.

O amor é uma antítese onde o tudo e o nada se complementam. Para mim, será eterna nostalgia e poesia. Tendo capacidade de sonhar num mundo cheio de hipocrisia, jamais perderei a minha luz, jamais levarei uma vida vazia.

Natércia Barros in “Amor, Sabedoria e Poder”


Não se deixe oprimir!

Artigo Anterior

O fato de um relacionamento não ter durado o tempo que gostaríamos, não significa que não tenha dado certo!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.