O calor do inverno…



O Solstício de Inverno trouxe a noite mais longa do ano, no último dia vinte e um. A partir daquele dia o sol começou a ganhar força, bem devagarinho e aos poucos. Dependendo do local, o frio é cortante. O tempo é de introspecção, quietude, silêncio e meditação.  Nós nos sentimos mais serenos e imóveis, com vontade de nos transformarmos em ursos para termos direito de ficarmos na toca, na caverna, por mais tempo do que o mundo externo permite.

Quem se conecta aos ciclos da natureza, como um praticante do paganismo, por exemplo, sente com mais intensidade esta época do ano.

Melhor ainda, percebe-a melhor e a compreende. Muitas vezes parece que tudo para e fica suspenso; esperando um melhor momento, esperando a próxima estação, que não vem se manifestar somente a partir do Equinócio da Primavera, mas sim, quando esta começa a se anunciar, através do calor do sol, que timidamente aparece, e do degelo – nos países mais frios – que começa a ocorrer. Esta época era chamada pelos antigos celtas de Imbolc, que acontece no início de agosto no Hemisfério Sul.

Mas estamos agora adentrando o inverno, marcado por menos energia solar e mais energia da Terra, que está em seu ápice.  Imbolc ainda está por vir e podemos aproveitar este momento de quietude e interiorização para nos conectarmos com nossa luz interna, a fim de fazê-la brilhar no momento certo, quando o inverno começar a dar os seus primeiros passos rumo a sua jornada no outro Hemisfério.

De nada adianta querermos nos sentir como no verão, por exemplo.

É uma questão de energia reinante. Equinócios e Solstícios são portais de energias. Se nos conectamos com elas, tudo flui de modo harmônico, como são os ciclos da natureza.

Mas se começamos a nos atropelar, a nos forçar, acabamos por nos desconectar de nós mesmos, correndo o risco de adoecermos ou ficarmos desequilibrados. Devemos ter atenção, pois infelizmente o mundo atual nos exige uma constância artificial que vai contra os ciclos naturais.

O inverno é momento oportuno para um trabalho de autoconhecimento através de mergulhos profundos em nós mesmos, porém de uma forma suave, prazerosa.  Podemos fazer isto de várias formas como através de meditações, jornadas xamânicas, contato com nosso animal de poder e aliados, oráculos e o que mais a sua criatividade lhe sugerir. Por falar nela, ela está bem de saúde, está mais lânguida, mas presente, e vai se manifestar de uma forma mais diáfana, podemos dizer assim, o que às vezes, pode até ser melhor.

O Solstício de Inverno, no entanto, nos traz uma mensagem de esperança, pois aos poucos e gradativamente, a luz vai aumentando na Terra. Com isto, aproveitamos para nos curarmos e despertarmos nossa criança interior.



Como na lua minguante, o inverno é momento de limpeza, cura e transformação. Porém, é diferente, pois ele anuncia o crescimento da luz solar.

Isto nos dá uma sensação de preenchimento e plenitude, diferente do que acontece na lua minguante que ruma para o vazio.

Quando conectados a nós mesmos, neste período do ano, por mais frio que esteja lá fora, sentimos o aconchego proveniente do calor de nossa luz interior. E com o passar dos dias desta estação, ao mesmo tempo em que a luz solar ganha força, a nossa luz interna também vai se intensifica, anunciando o nascimento de um novo ciclo.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: hekotlyar / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.