Reflexão

O coitadismo

Segundo o escritor Augusto Cury e sua teoria,



2ª armadilha da mente:

Coitadismo

“O coitadismo é a arte de ter compaixão de si mesmo. O coitadismo é o conformismo potencializado, capaz de aprisionar o Eu para que ele não utilize ferramentas para transformar sua história. Vai além do convencimento de que não é capaz, entra na esfera da propaganda do sentimento de incapacidade. O coitadista faz marketing de suas crenças irreais, impotências, limitações. Não tem vergonha de dizer “Sou um derrotado!”, “Nada do que eu faço dá certo!”, “Não tenho solução!”, “Ninguém gosta de mim!”


São pessoas com notável potencial, mas que o jogam no lixo. Incorporam o papel dramático e autopunitivo de que estão programados para serem fracassados. Nada é tão violento contra si mesmo.

Nem todo conformista é coitadista, mas todo coitadista é conformista. (…) O conformista está sempre esperando que os outros o encorajem, o animem, o estimulem, com palavras tais como “você é capaz!”, “não desista!”, “você é inteligente!”, “você é querido!” São ricos e não o sabem. Dependem das migalhas dos outros para sobreviver, ter atenção, ser valorizado.

(…)

Muitos coitadistas são autodestrutivos. Não tem um romance com a própria vida. Alguns são muito amados e quem os ama suplica para que cuidem de sua saúde, mas eles insistem em se autodestruir, em falar que são incapazes, em dormir poucas horas de sono, em se atolar de atividades profissionais. Só param quando estão no leito de um hospital ou no leito de um túmulo. Quando você consegue saber qual o seu limite?


Alguns coitadistas são humanos com os outros, mas inumanos consigo mesmos. Gostam de cuidar das pessoas, mas são péssimos para cuidarem de si. São vagarosos naquilo que deveriam ser desesperados. Os coitadistas, como os conformistas, se auto-abandonaram.

Os coitadista bloqueiam seu psiquismo porque são contra ter ambições, sem saber o papel fundamental delas. Ambições são importantes? Sim, algumas são legítimas e valiosíssimas. Quem pode desprezar a ambição de ter saúde psíquica, ser tranquilo, feliz, sábio, solidário, ter uma vida confortável, procurar excelência profissional?(…) Mas os coitadistas acha que todas as ambições são malditas.

(…)

Desejo é uma intenção superficial. Ambição é um projeto de vida. Desejo é alicerçado pelo ânimo, ambição é alicerçada pela garra. Os ambiciosos só descansam quando atingem suas metas, os coitadistas descansam antes de entrar na raia.


(…)

Não basta a energia do desejo. Até um psicopata tem desejo de mudanças. Quem não tem uma sólida ambição de superar seus conflitos não potencializa seu tratamento psiquíco, tem chance de levar para o seu túmulo suas fobias, inseguranças, obsessões, baixa auto-estima, alcoolismo, dependência de outras drogas.”

As quatro armadilhas da mente

Artigo Anterior

O medo de reconhecer erros

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.