O coração das pessoas com ansiedade bate diferente

Não é nada fácil viver com a verdadeira ansiedade, aquela que leva nossos sentimentos ao extremo e que nos faz buscar incansavelmente uma pessoa que desperte nossas almas novamente, mas que, no segundo em que encontramos felicidade em alguma companhia, nos convence de que o sentir é perigoso demais e que devemos ficar sozinhos.

Assim, mesmo não querendo, nós nos vemos sem outra escolha a não ser nos isolarmos novamente, desejando em segredo que esses muros que nos afastam de nossos verdadeiros sonhos sejam derrubados.

Quando vivemos com a ansiedade, nossos corações estão sempre angustiados, é difícil manter a paz em nosso interior e ao nosso redor. Se não conseguimos dar continuidade a um assunto com outra pessoa, ou se a comunicação não é instantânea, nossa voz interior já começa a trabalhar para nos convencer de que não somos bons o suficiente, que estamos atrapalhando ou que ela realmente não sente interesse de falar conosco e o faz apenas por dó. Isso nos machuca e nos motiva a nos isolarmos cada vez mais, acreditando que não fazemos nenhuma diferença positiva para aqueles com os quais convivemos. Nossa autoestima então, vive em constante queda.

Estamos constantemente sonhando acordados, imaginando quantas coisas poderíamos realizar se apenas conseguíssemos assumir o controle de nossas vidas e nos libertarmos de nossas próprias mentes. Pensamos em todas coisas que ainda temos para experimentar e ansiamos pelo amanhã, apesar de não conseguirmos evitar a sensação de que as coisas não seguirão nosso caminho mais uma vez.

Nossas mentes estão constantemente esperando os piores resultados e muitas vezes nos fazem perder a esperança até mesmo nos nossos maiores objetivos. Pensamos no tanto de coisas que já deram errado conosco e que evitamos até mesmo lutar por aquilo que desejamos. Afinal de contas, se em algum momento as coisas vão desandar, para que nos dedicarmos, para que investirmos nosso tempo, para que insistirmos em uma pessoa?

A ansiedade traz insegurança, medo, reclusão e faz nossos corações baterem diferente. Faz-nos perder de vista nossos propósitos e incita nossas mentes a trabalharem contra nós.

Todos esses sentimentos são “normais” e se mostram presentes nas vidas de todos nós em algum momento, e nós sabemos disso. O que nos preocupa é o sentimento de não conseguiremos superá-los. É uma sensação esmagadora, que influencia nossos pensamentos e atitudes e, em muitos casos, dita nosso nível de felicidade e esperança.

No entanto, nem tudo é ruim. Somos extremamente resilientes e fortes, por estarmos de pé todos os dias, mesmo quando nossas mentes e corpos não convivem bem um com o outro.

O coração de alguém com ansiedade bate diferente, em um ritmo de urgência, mas também de esperança, por saber que nasceu com potencial para experimentar muito mais do que isso e que encontrará o seu caminho.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Katarzyna Białasiewicz / 123RF Imagens



Deixe seu comentário