ColunistasReflexão

O culto “cult” ao ateísmo…

O CULTO capa e dentro

Eu não sei por que razão, cada vez mais as pessoas tendem a seguir grupos, mentores, ideologias de massa, e todo o lixo que os classifiquem sendo pertencentes a um conglomerado de ideias geralmente oriundas de distorções de um pensamento original e proferidas por alguns, ou muitos tolinhos.



O ser humano está deixando de pensar por si, de ser um indivíduo único que carrega suas próprias ideias para pertencer a tribos, a facções, a seitas e a qualquer coisa que o faça sentir um pouco de identificação. Melhor ainda: que pense por ele.

Esse comportamento vem ocorrendo com os “novos ateus”, que reverenciam Richard Dawkins, Daniel Dennet, entre outros.

o-culto-capa-e-dentro


Comentei sobre o assunto com amigos há tempos e repito: o agnosticismo ou ateísmo é uma dedução, uma convicção pessoal e íntima, ela não tem nada a ver com qualquer tipo de movimento ou militância, e isto é de uma inocuidade sem igual.

Ora, eu não estou nem aí para quem é ou deixa de ser ateu ou religioso.

Eu mesma sou ateia, mas não faço disso uma bandeira a ser hasteada, nem quero medir forças com quem quer que seja, porque são apenas as minhas convicções pessoais e devem ser respeitadas, assim como são as convicções e crenças de cada um.

Eu não me encaixo em moldes, movimentos e muito menos em militância sobre o assunto porque ele é uma questão individual e pessoal minha. E assim deveria ser para cada indivíduo independente de suas crenças. Guardem elas para si. Sobretudo os que não creem. Esses, têm menos ainda a dizer, ou a pregar, obviamente.


E não vejo com bons olhos esses novos teleguiados que querem apenas ser “diferentes” e que militam por uma causa inexistente. Como eu previ, já há centenas de milhares de sites dedicados ao ateísmo, com regras e doutrinas! Sim, com doutrinas que ensinam as maneiras com as quais um aspirante a ateu deve agir, posicionar-se e comportar-se.

Daqui a pouco surgirão templos para louvar o nada, a descrença!

Vejo essas novas tribos imersas em tolices tão vexatórias que as vezes me pego com as maças do rosto rubras de vergonha.


O amor não é um ônibus para você esperar o próximo. Embarque logo, criatura!

Artigo Anterior

#overãoinspira… – pacto!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.