ColunistasRelacionamentos

O deleite de não ter quem se deseja…

O deleite site

Desejar! Uma palavra que só de escrever faz com que minha pele se arrepie, ao imaginar o que se passa dentro de mim quando penso em você.



Não pense que esse será mais um texto “ a la” Romeu e Julieta, onde o amor era responsável pelas escritas românticas.

Ainda não cheguei ao patamar de amá-lo, mas não nego desejá-lo.

Aproprio-me do verbo desidero, que vem da palavra sidero, que significa: relativo ao espaço sideral, às estrelas. De uma maneira quase poética escolho ficar à mercê das estrelas para admirá-lo, somente..


Um desejo que por mais estranho que pareça, a mim consome, moderadamente.

Talvez, você com suas conversas enfáticas, creditou em mim, a paciência em se ter o que deseja. Paciência que se tornou potência assim como Espinoza tanto diz em seus escritos.

Mas, não ensaie seu sorriso certeiro, pois acredito que doses diárias de engodos, para elevar ainda mais o meu desejo, chega a ser um deleite, muito mais que prazeroso.

Poderia dizer que chega a ser uma arte, no entanto, quando falamos em arte, pressupõe-se que exista algo que, ao ser finalizado, poderá ser admirado.


Não tenho certeza de que desejar uma pessoa possa ser definido como a arte em esperar… não sei.

Refletindo melhor, algumas pessoas dariam uma bela Monalisa pela dificuldade de se apropriar do que o faz sentir. Será por isso que os grandes pintores demoravam anos para finalizar suas obras?

Espinoza define muito bem o que venha a ser desejar: é a capacidade de afetar e ser afetado. É uma qualidade que aumenta a potência, porque é neste estágio que se encontra o ato de ter para si o que tanto se almeja.

Desejar ainda é uma virtude que potencializa o querer. Se sinto alegria em conversar com você, sou afetada por suas palavras e isso faz com que eu me sinta mais alegre e, por me sentir assim, a cada dia que passa, sempre buscarei aumentar meus anseios. Um círculo vicioso e muito aprazível.


E é assim que me sinto, alegre; algumas vezes, triste, não importa os opostos que venham surgir, mas a intensidade com que cada emoção me faz sentir, aumenta ainda mais o meu desejar.

Sou capaz de ignorar a imensidão celestial que me cobre toda noite, buscando na brisa noturna um pouco de você. Passarei meus dias evitando o brilho estelar que tanto hipnotiza meu olhar, na esperança de com você um dia estar.

Ok! Concordo! Shakespeare com nuances poéticas voltou na frase anterior! Faço um esforço monumental no estilo da luta Davi e Golias, para não romancear e, bem no final do texto, tropeço em migalhas que você deixou, sabendo que, por elas, eu conseguiria voltar para “casa”.

João e Maria, mesmo tendo migalhas, foram parar na cabana de uma bruxa. Então, eu me pego pensando, se não é mais sedutor me perder no caminho e encontrá-lo ao acaso?


Reflexões ainda pairam em minha mente, já cansada de tanto desejar.

Por que preciso me perder, se já o “encontrei?

Talvez, isso se deva, não a mim, mas, a você. Na verdade, deixar-me-ei perder, para que um dia tenhas desejo em me procurar.

Não usarei as ”migalhas”, porque tenho esperança de que elas serão de grande utilidade.


Assim como Da Vinci demorou anos para terminar sua obra mais famosa, não terei pressa em apropriar-me  das emoções, ao tê-lo em meus braços.

___________

Direitos autorais da imagem de capa: rilueda / 123RF Imagens


Conhecimento e sabedoria são uma dupla perfeita, quando caminham juntos!

Artigo Anterior

Se você quer prosperar, comece já!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.