5min. de leitura

O destino final do ego é a solidão

Apesar de ser um comportamento muito enraizado dentro de nosso ser, é possível transformar o egoísmo aos poucos e torná-lo gentileza

O ego é uma parte de nossa personalidade, e está associado a como nos posicionamos diante dos acontecimentos ao nosso redor. Cada experiência que vivemos serve de base para que nossos egos nos ajudem a definir nossas opiniões e atitudes em relação à vida. Ele prioriza sempre o nosso bem-estar e nos condiciona sempre a agir priorizando os próprios interesses, bem-estar e felicidade.


Certamente o ego tem um papel muito importante em nossas personalidades e vidas, uma vez que está constantemente trabalho para nos manter vivos e nos preservar de todo e qualquer risco em potencial que pode nos prejudicar. O ego é uma das grandes ferramentas que possuímos para resolver problemas e desenvolver ainda mais nossos instintos.

No entanto, quando usado de forma exagerada ou incorreta pode acabar trabalhando contra nós. O ego também é o responsável por nos tornar pessoas mesquinhas, que se preocupam apenas consigo mesmas e não conseguem olhar para o lado e reconhecer a dor do outro. Quando alguém está perdido no próprio ego, enxerga apenas os próprios problemas não entende que a verdadeira prosperidade vem da união.

As pessoas egoístas e egocêntricas agem como se fossem melhores do que todos ao seu redor, e muitas vezes humilham aqueles que se recusam a segui-las ou a fazer as suas vontades. Suas atitudes podem parecer demonstrar uma força ou sentimento de superioridade, mas a verdade é que apenas escondem uma grande insegurança e falta de amor-próprio.


Por mais que por um tempo sintam que estão no controle da situação e têm todo mundo aos seus pés, não demora muito para os egoístas perceberem que estão completamente sozinhos, porque o destino daqueles dominados pelo ego é a solidão.

É possível combater a solidão do egoísmo com a gentileza

Apesar de ser um comportamento muito enraizado dentro de nosso ser, é possível transformar o egoísmo aos poucos e torná-lo gentileza. Abaixo, explicamos 3 estratégias que possibilitam essa mudança.


1. Trabalhar o hábito de levar tudo para o lado pessoal

Toda vez que alguém nos faz alguma crítica ou ofensa, mesmo que muitas vezes não faça sentido algum ou não tenha a ver com nossa personalidade, nossos egos se sentem atacados e ativam o modo de luta, fazendo-nos devolver a ofensa que nos foi transmitida.

Isso raramente vale a pena. As pessoas sempre vão falar, não importa a forma como você escolha viver sua vida. O que realmente importa é como você se sente sobre si mesmo. Não perca seu tempo se defendendo de opiniões alheias, foque apenas em viver sua vida da melhor maneira possível.


2. Superar sua necessidade de atenção

A necessidade de atenção é um hábito muito negativo, porque coloca nossa autoestima e felicidade diretamente nas mãos de outra pessoa. Cada um tem a própria vida para cuidar e nenhuma pessoa tem tempo para ficar o tempo todo nos elogiando e mimando.

Devemos assumir a responsabilidade por nossa própria estabilidade emocional, sem precisarmos fazer publicações de autoafirmação em redes sociais ou criando situações que façam as pessoas nos elogiar em situações casuais. Devemos ser suficientes, por nós mesmos.


3. Controlar a necessidade de estar sempre certo

Existem muitos pontos de vista para a mesma coisa. Quando assumimos que estamos sempre certos, perdemos a oportunidade de aprender com outras pessoas e aumentar o nosso conhecimento geral sobre determinados assuntos. Aprendamos a liberar o ego e aceitar que nos tornamos muito mais sábios quando assumimos que não estamos certos e nos dispomos a aprender com o outro.


Direitos autorais da imagem de capa: Pixabay





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.